Quantcast
Retalho

Conheça as tendências que vão marcar o setor alimentar europeu

Conheça as tendências que vão marcar o setor alimentar europeu iStock

O recente relatório “The State of Grocery Retail 2024: Europe – Signs of hope”, elaborado pela McKinsey & Company e pela EuroCommerce, avançou com as principais tendências a moldar a indústria alimentar nos próximos anos.

De acordo com a análise, os retalhistas de produtos alimentares vão continuar a sentir pressão sobre as margens, uma das três principais prioridades para 70% dos CEO inquiridos pelo estudo.

 

De forma a continuarem a proteger os consumidores relativamente aos aumentos de preços, os retalhistas “provavelmente priorizarão as negociações com os fornecedores, incluindo a participação em grupos de compras, enquanto os esforços de consolidação persistirem em 2024”, avança o estudo.

Os retalhistas de produtos alimentares vão continuar a sentir pressão sobre as margens.

 

Enquanto mais de 45% dos consumidores europeus afirmaram continuar a procurar formas de poupar dinheiro ao fazer compras em 2024 (comparativamente a 51% no ano anterior), os agregados familiares com rendimentos mais altos “estão novamente a comprar produtos de maior qualidade ou orgânicos em 2023, com uma maior intenção de comprar mais produtos de qualidade superior”, sublinha a análise.

O mercado do pronto a comer está em crescimento. Segundo o relatório da consultora, apesar do ambiente inflacionário e da mudança dos consumidores para produtos mais económicos, “o setor da restauração superou a indústria do retalho em cerca de 3 pontos percentuais”.

 

Desta forma, a análise avança ser expectável um maior crescimento, nos próximos cinco anos, no setor do pronto a comer, aproximadamente de 8%, em comparação com o retalho em geral na Europa, com um potencial de crescimento a rondar os 3%.

Segundo a análise, 2024 será marcado por “uma expansão ambiciosa” da presença dos retalhistas no Retail Media (RM). “A padronização, a medição do impacto e a diversificação de anúncios serão cruciais para torná-lo bem-sucedido, dada a oportunidade significativa e de alto retorno”, refere o relatório da McKinsey & Company e da EuroCommerce.

 

A análise avança ser expectável um maior crescimento, nos próximos cinco anos, no setor do pronto a comer, aproximadamente de 8%, em comparação com o retalho em geral na Europa.

De acordo com o estudo, os retalhistas europeus deparam-se com um número de postos de trabalho por preencher “mais elevado do que nunca”, enquanto a média de permanência dos seus colaboradores diminui. Deste modo, o estudo refere que os empregadores mais atrativos “oferecem carreiras, não apenas empregos, em combinação com o equilíbrio adequado entre trabalho e vida pessoal”.

O relatório teve por base um inquérito realizado a mais de 30 líderes europeus do setor alimentar e a mais de 12.000 consumidores, em 11 países europeus, incluindo Portugal.

 

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever