Tecnologia

You Tube da Google desafia Amazon

YouTube da Google desafia Amazon

A Google tem vindo, ao longo dos últimos anos, a “tentar” desafiar a Amazon no mercado do comércio eletrónico, sem, no entanto, ter resultado em grandes receitas.

Agora, a gigante da Internet tenta, novamente, encontrando-se a realizar testes para um novo recurso no You Tube que faz recomendações e mostra preços de produtos em vídeos.

Esses links, que estão a ser testados por marcas como a Nike, redirecionam os visualizadores do YouTube para concluir as suas compras no Google Express.

O YouTube, com mais de mil milhões de utilizadores, transmitindo mais de mil milhões de horas de vídeo diariamente, é uma das plataformas que, segundo os responsáveis da Alphabet – holding e conglomerado que possui diretamente várias empresas que pertencem ou são vinculadas ao Google -, faz com que seja uma ótima plataforma para alcançar potenciais compradores.

Recorde-se que há quatro anos, o YouTube lançou o chamado “TrueView”, que permite que às marcas anunciarem produtos nos seus anúncios em vídeo com botões de compra. Esses botões permitem que os compradores concluam as transações em sites de terceiros.

Atualmente, o YouTube veicula dois tipos de anúncios TrueView: anúncios in-stream, que são veiculados antes, durante e depois dos vídeos; e anúncios de video discovery, que aparecem nos resultados de pesquisa, vídeos sugeridos e na página inicial do YouTube. Os novos links de compras do YouTube representam uma evolução dessa estratégia.

Em vez de veicular anúncios em vídeo como TrueView, as marcas podem exibir os seus links de produtos em vídeos completos. Além disso, em vez de fazer com que os utilizadores concluam as compras em sites de terceiros, os links podem fortalecer o ecossistema de e-commerce da Google, levando os compradores ao Google Express, que acolhe pedidos digitais para retalhistas.

Segundo o site especializado em notícias tecnológicas – The Information – a Google irá renomear o Google Express. “Google Shopping” deverá ser, em breve, a nova denominação a utilizar, com a plataforma renovada a estar mais integrada no YouTube.

A integração dos links de compra do Google Express no YouTube vem, também, abrir uma “guerra à recente introdução do Amazon Live, uma plataforma de vídeo ao vivo que permite aos compradores vender produtos diretamente aos espectadores.