Quantcast
Investimento

Sonae Sierra e Bankinter vão investir 400 M€ em ativos imobiliários comerciais

retalho

A Sonae Sierra e o Grupo Bankinter anunciaram esta sexta-feira (17 de fevereiro) a conclusão do processo para a criação e angariação de capital para a Socimi ORES, o veículo de investimento imobiliário que as duas empresas listaram no Mercado Alternativo Bolsista espanhol (MAB). A empresa de investimento imobiliário cotada foi criada em dezembro de 2016, numa base 50:50.

Numa nota enviada às redações, as empresas revelam que “a Socimi ORES entra no mercado depois de um aumento de capital de 196,6 milhões de euros, realizado também no mês de dezembro. Esta operação mobilizou sobretudo clientes do segmento de Private Banking do Bankinter. Na sequência do aumento de capital, estes investidores, juntamente com investidores institucionais relevantes, detêm 86% da Socimi, enquanto o Grupo Bankinter detém mais de 10% e a Sonae Sierra 3,75%.”

O capital social da Socimi ORES é de 196 695 211 ações, cada uma com o valor nominal de 1 euro, e o Conselho de Administração é composto por Fernando Moreno, diretor global da área de banca comercial do Bankinter e presidente da Socimi; Íñigo Guerra, diretor global da área de banca de investimentos do Bankinter; Alexandre Fernandes, diretor global de gestão de Investimento da Sonae Sierra para a Europa; e Javier Nieto Jáuregui e Javier Sánchez como membros externos do Conselho de Administração.

Trata-se de um veículo de investimento para clientes de Private Banking que exigem retornos significativos e constantes a médio prazo, que neste caso é de aproximadamente sete anos. Este veículo vai distribuir um dividendo anual médio de entre 4% e 5%, obtido a partir do rendimento gerado pelas rendas dos ativos imobiliários, de acordo com as regras que regem as Socimis.

O objetivo da Socimi é investir aproximadamente 400 milhões de euros, “em ativos imobiliários comerciais (não residenciais) com boas localizações, maioritariamente nas principais cidades de Espanha e de Portugal. Cerca de 65% destes ativos estarão localizados em Espanha e os restantes em Portugal”, referem.

Para além disso, as duas companhias revelam que o foco principal do investimento será em hipermercados e supermercados, retail parks, comércio de rua em localizações privilegiadas e nas chamadas unidades ‘stand alone’.