Quantcast
Retalho

Sonae atinge vendas recorde de 6,8 mil milhões de euros

O grupo Sonae anunciou, em comunicado enviado às redações, que, no ano passado, o seu volume de negócio cresceu 6,1% face a 2019, atingindo mais de 6,8 mil milhões de euros – valor que a Sonae afirma ser “recorde”. As vendas online mais do que duplicaram, atingindo cerca de 480 milhões de euros.

A nível social e de sustentabilidade, a empresa apoiou a comunidade em mais de 14 milhões de euros e conseguiu a meta de mais de 70% das suas embalagens serem de base de plástico reciclável, assim como reduziu as emissões de CO2 em 18% face a 2019. Para além disso, a Sonae anunciou também a antecipação em uma década para alcançar a neutralidade carbónica.

Em relação aos negócios de retalho, a Ceo da Sonae, Cláudia Azevedo, afirma que “marcas como o Continente ou a Worten viram as suas quotas de mercado no e-commerce atingirem valores bem acima das suas posições já de liderança em Portugal, contribuindo para um total de vendas online do grupo de cerca de 480 milhões de euros”.

A empresa afirma que o seu crescimento em 2020 “foi fortemente impulsionado pelas vendas online”. “Os principais negócios de retalho atingiram quotas de mercado online bastante acima das suas quotas de mercado já de liderança no offline“, referem em comunicado.

A Sonae relembra que no ano passado investiu mais de 500 milhões de euros na expansão orgânica e aquisições. O grupo reforçou, por exemplo, a sua posição na NOS (+7,38%) e na Salsa (+50%).

 Análise por negócio

Sonae MC – o volume de negócios da Sonae MC ultrapassou os cinco mil milhões de euros, atingindo um total de 5.153 M€, o que representou um crescimento de 9,6% em termos homólogos.

Worten – cresceu 7% (face a 2019), com o online a representar mais de 10% das vendas.

Sonae Fashion – o volume de negócios total ascendeu a 344 milhões de euros, diminuindo 12,2% face ao ano anterior. Além disso, as vendas online duplicaram o seu peso no volume de negócios total, passando de 7% em 2019 para 14% em 2020.

ISRG – a Sonae afirma que este “foi um dos negócios mais afetados pela pandemia, tendo tido todas as lojas encerradas por um longo período, o que impactou significativamente o desempenho do seu negócio”. As vendas online mais do que triplicaram e representaram cerca de 10% das vendas nos últimos 12 meses. O volume de negócios foi de 660 milhões de euros, menos 2% em termos homólogos.

Cartão Universo – aumentou a sua quota de mercado para 13,8%, o que representou um aumento de 100 pontos base em relação ao final do ano passado.

Sonae IM – realizou cinco novos investimentos. Além disso, conseguiu alcançar o seu segundo unicórnio (start-ups tecnológicas que são avaliadas em mais de mil milhões de dólares), com a Arctic Wolf – empresa norte-americana de cibersegurança.

Sonae Sierra – “foi a empresa mais impactada do portefólio da Sonae. Na Europa, as vendas dos lojistas e o número de visitantes diminuíram respetivamente 34% e 38%, em termos homólogos numa base LfL”. O resultado líquido anual foi de menos 42 milhões de euros.

NOS – as receitas cresceram 1% nas telecomunicações. No entanto, “não foram suficientes para compensar a queda significativa das receitas no negócio de cinema e audiovisuais”. Em termos consolidados, o EBITDA situou-se nos 603 milhões de euros, menos 5,7% que em 2019.