Quantcast
Retalho

250 maiores retalhistas a nível mundial cresceram 4,4%

APED_Retalho

Um estudo levado a cabo pela Deloitte e divulgado esta quinta-feira, dia 22 de abril, mostra que os 250 maiores retalhistas a nível mundial cresceram em 2019 4,4%, com receitas na casa dos 4,85 biliões de dólares. Segundo o relatório, a “dimensão média dos 250 maiores retalhistas mundiais cresce para 19,4 mil milhões de dólares”, sendo que “o top10 de retalhistas mundiais manteve aposta no mercado global”.

“A participação dos 10 maiores retalhistas do mundo na receita total do Top250 aumentou novamente para 32,7%, em comparação com 32,2% no ano anterior. O crescimento da receita dos retalhistas do Top10 no ano fiscal de 2019 caiu 1,9 pontos percentuais em relação ao ano anterior, para 4,4%”, esclarece a consultora em comunicado.

“Os 250 principais retalhistas registaram o mesmo crescimento (4,4%)”, sendo que “a receita mínima para uma empresa entrar no ranking (Top250) é de 4,0 mil milhões de dólares, em comparação com 3,9 mil milhões no ano anterior, com um tamanho médio de empresa de 19,4 mil milhões de dólares”.

Esclarece ainda o mesmo documento que o setor de FMCG (bens de grande consumo) gerou mais de 65% das receitas do retalho em 2019, sendo que os retalhistas deste “setor têm a maior receita média de retalho (23,7 mil milhões de dólares), porém este é o setor com a menor margem de lucro líquido de todos os setores (2,0%)”.

Em termos globais, a Europa tem o maior número de retalhistas no Top250, contabilizando um total de 87 empresas sediadas na região, mas são os norte-americanos quem mais contribui para a receita total, com uma receita média de “28,6 mil milhões de dólares” valor muito superior à média das 250 maiores, de 19,4 mil milhões de dólares.

No que toca ao retalho português, “a Jerónimo Martins mantém a 50ª posição no ranking e cresce 7,5%, obtendo receitas consolidadas registadas no ano fiscal transato de 20,860 mil milhões de dólares. O grupo que detém as insígnias Pingo Doce e Recheio em Portugal, Biedronka e Hebe na Polónia, e, Ara na Colômbia, regista entre 2014 e 2019 um crescimento anual médio nas receitas de 8%”.

“A Sonae está, nesta edição, na 158ª posição, com um aumento de 7% nas receitas consolidadas registadas no ano fiscal anterior, com 7,202 mil milhões de dólares. No período de 2014 a 2019 obteve um crescimento anual médio nas receitas de 5,4%”, finaliza o comunicado da Deloitte.

Confia a lista dos 10 maiores retalhistas a nível mundial: