Quantcast
Tecnologia

Escassez de talento – Um dos maiores desafios na transformação digital

Escassez de talento – Um dos maiores desafios na transformação digital

A transformação digital é cada vez mais uma prioridade das organizações. No entanto, a escassez de talento é uma das principais preocupações nessa transformação. A conclusão é do “Estudo da Economia e da Sociedade Digital em Portugal”, promovido pela ACEPI/.PT/IDC.

“A transformação digital está em franca aceleração nas empresas portuguesas. O principal desafio é a escassez de talento, tanto ao nível dos colaboradores quer da gestão” reforçou o presidente da ACEPI, Alexandre Nilo Fonseca.

 

As grandes e médias empresas portuguesas apresentam uma maior taxa de ecommerce do que a média da UE. Já mais de 91 mil empresas enviaram e receberam faturas eletrónicas em 2021. Prevê-se em 2022 um crescimento da fatura eletrónica entre 15% a 25% relativamente a 2021.

No campo da transformação digital, a inteligência artificial e a robótica são mais utilizados pelas empresas portuguesas do que pela média da União Europeia. Vender produtos/serviços as-a-service, é um novo modelo de negócio que está na agenda de muitas empresas.

 

Automatização é uma das principais prioridades das empresas em relação a tecnologias digitais. 58% dos inquiridos do estudo indica que o seu investimento tecnológico para 2023 “vai aumentar”.

Estima-se que o comércio eletrónico B2C atinja mais de 8 mil milhões em 2022 e o comércio eletrónico B2B cerca de 121 mil milhões.

 

A utilização da Internet

Num panorama geral, a utilização da Internet continuou a crescer, com uma penetração de 83% em 2021. Em 2026, a percentagem da população portuguesa que utiliza a Internet ultrapassará os 94%, continuando a convergência com a média europeia.

 

O número de compradores online em Portugal também cresceu, 52% em 2021. O estudo da ACEPI/IDC/.PT, que se realiza desde 2009, prevê um crescimento de quatro pontos percentuais em 2022, e estima que em 2026 mais de 70% dos portugueses faça compras online.

“As compras online passaram a fazer parte do dia a dia dos portugueses. Nenhuma empresa pode hoje ignorar a internet como canal de venda e de comunicação”, afirmou ainda o presidente da ACEPI, Alexandre Nilo Fonseca.

A presença online das empresas

Relativamente à presença online das empresas, 62% já a possuem, com a quase totalidade das grandes empresas já na Internet. Dessa maneira, Portugal está acima da média da União Europeia, com 58% de empresas que utilizam as redes sociais.

87% das empresas inquiridas tem uma página da marca em canais sociais (Facebook, Instagram, Youtube, etc.) e mais de um terço das empresas inquiridas tem presença em marketplaces de serviços (Google Maps, TripAdvisor, Uber Eats, etc.).