Quantcast
Retalho

Retalho: Crescimento das vendas em Portugal abrandou em setembro

Retalho: Crescimento das vendas em Portugal abrandou em setembro

O Instituto Nacional de Estatística (INE) revelou que o volume de negócios no comércio a retalho abrandou em setembro, embora a variação homóloga seja positiva. O abrandamento dos produtos não alimentares levou a que a variação homóloga de 5,6% em agosto diminuísse para 2,1% em setembro.

No terceiro trimestre de 2022, as vendas no comércio a retalho cresceram 4,3% em termos homólogos (3,6% no segundo trimestre). Os índices de emprego, remunerações e horas trabalhadas apresentaram taxas de variação homóloga de 3,5%, 8,8% e 2,1% (3,4%, 10,1% e 3,9% em agosto).

 

Em setembro, os produtos alimentares registaram uma variação homóloga negativa de 0,2% (-0,1% em agosto). Já os produtos não alimentares abrandaram 6,4%, reduzindo o crescimento homólogo para 3,8%.

A variação mensal do índice agregado foi -2% em setembro (1,1% em agosto). Os agrupamentos de produtos alimentares e produtos não alimentares passaram de variações de, respetivamente, -0,9% e 2,5% em agosto, para 0,8% e -4% em setembro.

 

Em termos nominais, a variação homóloga do índice agregado foi 11,6% em setembro (15,1% no mês anterior), continuando a evidenciar os efeitos do crescimento dos preços. As variações dos índices dos produtos alimentares e produtos não alimentares situaram-se em 13,8% e 9,7%, respetivamente (15,2% e 15,1% no mês precedente).