Quantcast
Sustentabilidade

Nestlé quer apoiar transição para sistema alimentar regenerativo

A Nestlé assinou o Código de Conduta da União Europeia (UE) para Negócios de Alimentação e Práticas de Marketing Responsáveis.

A Nestlé anunciou que está a trabalhar com os seus parceiros do sistema alimentar, qual faz parte uma rede de mais de 500 mil agricultores e 150 mil fornecedores, para promover a adoção de práticas agrícolas regenerativas como peça central do sistema alimentar.

Em comunicado, a empresa afirma que vai dar início a novos programas para ajudar a resolver os desafios sociais e económicos necessários para operar esta transição. No total, a Nestlé vai investir 1,2 mil milhões francos suíços (mais de 1,2 mil milhões de euros) nos próximos cinco anos para estimular práticas deste tipo.

 

“Sabemos que a agricultura regenerativa desempenha um papel fundamental na melhoria da saúde do solo, restaurando os ciclos da água e aumentando a biodiversidade no longo prazo”, afirma o Chairman da Nestlé, Paul Bulcke.  “Esses resultados formam a base da produção sustentável de alimentos e, principalmente, dão um contributo decisivo para alcançarmos as nossas ambiciosas metas climáticas”, explica.

Por sua vez, o CEO da Nestlé, Mark Schneider, afirma que “no espírito de permitir uma transição justa, é vital que apoiemos agricultores em todo o mundo, que assumem os riscos e os custos associados ao movimento em direção à agricultura regenerativa”.

A estratégia de apoio vai esta assente em três aspetos:

  • Aplicar os mais avançados conhecimentos científicos e tecnológicos e fornecer assistência técnica;
  • Oferecer apoio ao investimento;
  • Pagar prémios por produtos agrícolas regenerativos;

Vai ser também lançada, em novembro, uma nova plataforma de formação para atrair e formar a próxima geração de agricultores nas práticas agrícolas regenerativas. Os esforços de regeneração da Nestlé estão a ser lançados sob o mote “Generation Regeneration”.