Retalho

Centros Comerciais com 99% das lojas a funcionar

Aqua Portimão - centro comercial - Distribuição Hoje

Das 8600 lojas que integram os Centros Comerciais associados da Associação Portuguesa de Centros Comerciais (APCC), 8483 estão em funcionamento, ou seja, 99% destes espaços estão de portas abertas, divulgou hoje (22 de junho) a associação, que representa 93 conjuntos comerciais e mais de 90% da área bruta locável total existente em Portugal.

“Estes números são reflexo da relação de cooperação entre os centros comerciais e os seus lojistas, assumida desde a primeira hora neste momento desafiante, e demonstram a capacidade do sector de trabalhar em conjunto para contribuir para a retoma da economia e a preservação do emprego”, afirma António Sampaio de Mattos, presidente da APCC.

Uma semana depois da reabertura total dos centros comerciais na Área Metropolitana de Lisboa, o responsável faz um balanço positivo da retoma da atividade nestes espaços, tal como já tinha acontecido no resto do país desde 1 de Junho, elogiando o comportamento responsável dos visitantes e reiterando que os operadores e os lojistas realizaram investimentos significativos para continuar a garantir a segurança de visitantes e colaboradores das lojas, cumprindo as regras estabelecidas por todas as entidades governamentais e de saúde.

“Os dados de que dispomos mostram que o tráfego se mantém abaixo das lotações máximas definidas por lei, mas revelam que os visitantes têm confiança nos centros comerciais e estão a regressar. Ainda temos um caminho a fazer para chegar aos níveis pré-pandemia, mas estamos otimistas. Temos assistido a um comportamento responsável da parte de todos, que agradeço e elogio, e que contribui para que os centros comerciais continuem a demonstrar que são espaços seguros, onde o risco de contágio do novo coronavírus está minimizado”, acrescenta António Sampaio de Mattos.

Os centros comerciais estão a cumprir a exigente limitação de um máximo de 5 visitantes por cada 100 m2 de área destinada ao público, garantindo o distanciamento social e o uso de máscara por todos, e reforçaram medidas de higiene e segurança em linha com o definido pela Direcção-Geral da Saúde.

De referir que, até ao dia 12 de junho, os membros da APCC tinham já acordado com mais de 87% dos seus lojistas a concessão de apoios, num montante total de 305 milhões de euros durante este ano, tornando-se o agente económico que mais apoiou o sector do retalho no contexto da pandemia em Portugal. Em causa estão descontos aos Lojistas e moratórias de rendas, que vão para além da “lei das moratórias” e que permitem diferir o pagamento destas mensalidades para 2021 e 2022.