Quantcast
Retalho

Sonae prepara entrada em bolsa com retalho alimentar e imobiliário

Sonae distinguida pela Comissão Europeia pela aposta na inovação

O Conselho de Administração da Sonae revelou esta segunda-feira (21 de maio) que continua “a analisar a possibilidade de listar [em bolsa] parte do portefólio de retalho” da companhia, no qual pretende manter “uma posição maioritária.”

De acordo com a empresa, “esta potencial operação é consistente com o princípio estratégico da Sonae de criar valor para os acionistas e de garantir as melhores condições para que as suas empresas cresçam e reforcem as suas posições competitivas.”

 

Em causa nesta possível entrada em bolsa podem estar a Sonae MC, negócio dedicado ao retalho alimentar, e a Sonae RP, a entidade que gere a propriedade imobiliária de retalho da Sonae. Para isso, a Sonae nomeou o Barclays, o BNP Paribas e o Deutsche Bank “para organizar reuniões exploratórias com potenciais investidores para uma possível entrada em bolsa”, revela ainda a empresa numa nota enviada às redações.

A Sonae sublinha ainda que “nesta fase não foi ainda tomada qualquer decisão formal, sendo que a Sonae manterá o mercado atualizado”.

 

Recorde-se que os resultados da Sonae relativos ao primeiro trimestre do ano foram conhecidos na passada semana, com a empresa a revelar que obteve um volume de negócios de 1 342 milhões de euros, um crescimento de 8,7%. Foi também na passada semana que a empresa anunciou a aquisição da Amor Bio, empresa que detinha dois supermercados de produtos biológicos na cidade de Lisboa, em Benfica e Alvalade.

Importa referir ainda que, no primeiro trimestre de 2018, o resultado líquido atribuível a acionistas mais do que duplicou face ao período homólogo, de 8 para 20 milhões de euros.