Sustentabilidade

Tetra Pak lança palhinhas em papel e não regista patentes a bem de um objetivo comum

Tetra Pak lança palhinhas em papel e não regista patentes a bem de um objetivo comum

Os clientes da Tetra Pak começaram a testar as suas palhinhas em papel para embalagens de cartão para bebidas na Europa, significando isto que a Tetra Pak é a primeira empresa de embalagens a disponibilizar este tipo de palhinhas aos seus clientes nesta região.

A empresa anunciou também a intenção de publicar e partilhar as suas inovações no que toca ao desenvolvimento das palhinhas em papel para incentivar a colaboração industrial, oferecendo alternativas às palhinhas de plástico de uso único.

Adolfo Orive, presidente e CEO da Tetra Pak, destaca, em comunicado, a palhinha em papel “completamente funcional e que cumpre com os padrões de segurança alimentar reconhecidos internacionalmente”. Na opinião do responsável máximo da empresa “este é um passo importante no contexto da nossa visão para a produção de uma embalagem inteiramente produzida com materiais de origem vegetal, contribuindo para uma economia circular com baixas emissões de carbono”.

“Decidimos não solicitar as patentes para as numerosas melhorias técnicas que fizemos nos equipamentos para que estejam à disposição de toda a indústria e consigamos o objetivo comum de concretizar uma economia circular com baixas emissões de carbono”, afirma Orive.

Tetra Pak lança palhinhas em papel e não regista patentes a bem de um objetivo comumPara além do lançamento das palhinhas e de não registar as patentes, a Tetra Pak convida todos os fornecedores e clientes a utilizar o conhecimento da companhia e “que se juntem a nós para aumentar a produção o mais rapidamente possível”, refere Adolfo Orive.

Fabricada com papel certificado pelo FSC e reciclável, tal como a restante embalagem, a nova palhinha em papel estará disponível inicialmente para as embalagens em cartão de tamanho individual habitualmente utilizadas para produtos lácteos e bebidas para crianças: a Tetra Brik Aseptic 200 Base e Tetra Brik Aseptic 200 Base Crystal. O formato inicial escolhido será o da palhinha reta, com o portfólio de embalagens a ser progressivamente aumentado juntamente com formas diferentes de palhinhas à medida que o projeto avance.

O lançamento experimental da palhinha em papel está a ser iniciado com volumes limitados, indicando a Tetra Pack que procederá ao aumento da capacidade de produção da sua fábrica de palhinhas em Lisboa.

A empresa também comunicou que está a avaliar os avanços técnicos e a trabalhar com vários líderes tecnológicos para explorar opções biodegradáveis, como os polihidroxialcanoatos (PHA), um polímero que também provém de materiais de origem vegetal.

Outros projetos de desenvolvimento de bebidas sustentáveis da Tetra Pak incluem as tampas não removíveis da embalagem e sistemas integrados de bebidas que permitem beber diretamente da embalagem.

De referir ainda que a empresa mobilizou equipas de desenvolvimento e cadeias de fornecimento, assegurando os recursos adicionais para avançar com estes planos, que representam uma prioridade para a Tetra Pak.