Empresas

25% dos portugueses preferem comprar em negócios independentes

25% dos portugueses preferem comprar em negócios independentes

91% dos empreendedores portugueses voltaria a fundar uma empresa novamente. A conclusão é um estudo apresentado esta terça-feira (8 de outubro) pelo Grupo Metro, que celebra hoje os negócios próprios. O estudo da empresa, que em Portugal detém a Makro, revela ainda 25% dos consumidores portugueses preferem comprar em empresas geridas pelos proprietários em vez de nas grandes cadeias.

Esta é a terceira edição do estudo que o Grupo Metro realiza sobre os negócios independentes e revela que, em Portugal, 91% dos empreendedores voltariam a fundar uma nova empresa, apesar de 39% ter receio da sua receita ser instável, 29% ter que aportar um grande esforço para conseguir novos negócios e 45% considerar que o pagamento de impostos seja muito penoso em Portugal.

Serviço, qualidade e sustentabilidade vistos como fatores de sucesso para negócios próprios

O estudo mostra ainda “a razão pela qual os portugueses apreciam os negócios próprios deve-se, em grande parte, ao facto de agirem de forma sustentável. Para 54% dos consumidores inquiridos, este é um critério de decisão importante. Quase metade (47%) também afirma que a boa qualidade é uma das principais razões que os leva a preferir adquirir produtos e serviços provenientes de empresas independentes. 53% também referiu o bom serviço e um quarto dos portugueses (25%) assegura que prefere comprar em empresas geridas pelos proprietários, em vez de se dirigir às grandes cadeias.”

Além disso, 34% dos entrevistados referem que gostam da diversidade das suas regiões e apreciam especialmente as pequenas e médias empresas independentes pelo seu contributo; e 54% destacam os serviços personalizados oferecidos pelas empresas que são geridas pelos seus proprietários.

O Grupo Metro revela ainda que 70% dos consumidores entrevistados prefere cabeleireiros e barbearias geridas pelos proprietários face às grandes redes. Os pequenos restaurantes, cafés e snack bars (46%) e floristas (59%) surgem logo a seguir como os mais populares.