Quantcast
Produção

“Conseguimos ganhar quota de mercado tanto no comércio tradicional como no online”

iStock

Damian Gammell, CEO da Coca-Cola Europacific Partners, avaliando os resultados da marca no primeiro trimestre de 2021, mostrou-se muito satisfeito com a prestação conseguida, lembrando que o cenário de incerteza ainda não permite traçar metas concretas.

Ciente do decréscimo de influência da marca em alguns mercados, Gammel lembra que o resultado global, em termos mundiais, se mostrou muito positivo, com a Coca-Cola a crescer quer nos ambientes analógicos como digitais.

 

“As condições de mercado permaneceram semelhantes às do último trimestre de 2020, devido ao prolongamento das restrições impostas em muitos dos nossos mercados e que tiveram um impacto no canal “away-from-home”. Conseguimos ganhar quota de mercado tanto no comércio tradicional como no online, graças à nossa capacidade de adaptação, à nossa forte execução e ao nosso esforço contínuo nas nossas marcas “core””, começa por afirmar em comunicado.

“Embora a pandemia persista e continuamos sem saber quando vai chegar a recuperação, estamos otimistas.  De facto, já está a ocorrer uma forte recuperação pós-pandémica em dois dos nossos novos mercados, Austrália & Nova Zelândia, realça o impacto positivo do aumento da mobilidade, que em breve chegará aos nossos outros mercados. Na Europa, embora as condições continuem a ser complicadas, estamos entusiasmados com as tendências positivas ao longo do trimestre, especialmente na Grã-Bretanha, com o consumo doméstico em alta. A tomada de decisões rápidas, a nossa disciplinada política de investimentos a longo prazo e o nosso empenho em gerar eficiência em toda a nossa atividade farão com que saiamos mais fortes desta situação”, acrescenta.

 

Em termos nacionais, num mercado onde é contabilizada também a performance de Andorra e Espanha, a Coca-Cola teve um resultado negativo, mas, mesmo assim, a marca mostra-se confiante relativamente ao futuro.

Confira alguns dos dados partilhados pela marca.

 

Resultado Iberia (Espanha, Portugal e Andorra) primeiro trimestre de 2021: €420 milhões (-20,5%)

  • As receitas do primeiro trimestre de 2021 são comparáveis às receitas do mesmo período em 2020. O primeiro trimestre de 2020 quase não foi afectado pela pandemia. O nível mais elevado de impacto para o negócio só foi verificado no segundo trimestre de 2020.
  • O volume sofreu um forte impacto devido uma exposição significativa ao canal away-from-home, em particular em Espanha, dada a sua grande exposição ao canal HORECA. O canal de consumo Home também sofreu devido à debilidade do canal cash&carry. Monster & Coca-Cola Zero Sugar tiveram ambos um desempenho destacado.
  • As receitas por caixa unidade também foram significativamente afetadas pelo mix de canais devido ao encerramento dos pontos de venda do canal HORECA para além do mix de embalagens negativo (por exemplo, o vidro baixou 55%)