Quantcast
Entrevista

Os pagamentos são cada vez mais contactless

RitaLourenço  MilleniumBCP

A tecnologia contactless começa aos poucos a afirmar-se no mercado, sendo que 2017 promete ser o ano dos pagamentos com recurso a este tipo de cartões.

A certeza é de Rita Lourenço, Head of Cards & Payments do Millennium bcp que, em entrevista ao Smartpaymentsnews.com, falou ainda em duas outras tendências a ter em conta nos próximos meses: o comércio eletrónico e o MB WAY.

 

A tecnologia é vista por esta responsável como um enabler no âmbito da oferta ao cliente, pensada no Millennium bcp sempre com elevados padrões de segurança.

Smartpaymentsnews.com – No âmbito dos cartões de pagamento, quais diria que são as principais tendências para este ano?

 

Rita Lourenço – As principais tendências para este ano serão o aumento dos pagamentos contactless; a adesão cada vez maior ao MB WAY, sobretudo na vertente P2P; e o aumento do e-commerce.

Em termos práticos o que está o Millennium bcp a fazer neste campo?

 

R.L. – Tudo. Estamos a liderar em cada um destes streams. Temos o maior número de cartões contactless em uso no mercado; temos uma das maiores quotas na utilização de MB WAY por parte dos nossos clientes; e temos campanhas específicas desenhadas para incentivar e aumentar o e-commerce.

De que forma a tecnologia tem sido uma ajuda na melhoria da experiência do vosso cliente?

 

R.L. – A tecnologia é um enabler e um facilitador para aquilo que os clientes esperam na sua interação com um banco e no uso que fazem dos instrumentos bancários aos seu dispor.

A desmaterialização do cartão já é uma realidade. Como olham para esta situação e que ofertas apresentam?

R.L. – Olhamos muito favoravelmente e temos posições de liderança em vários projetos de desmaterialização do cartão, desde logo com o MB WAY, mas também com outras wallets inovadoras com lançamento para muito em breve.

Como conjugam a segurança com este tipo de oferta?

R.L. – São pagamentos com cartão apenas não presente. Todos os standards e regras de segurança e controlo são observadas do mesmo modo que o são num cartão físico usado num TPA físico. Podem ter, aliás, níveis acrescidos de segurança, por via do 3D Secure – One Time Password, exigido nos pagamentos desmaterializados (card not present) em sites seguros.

Qual o feedback que o Millennium bcp tem tido do lado do cliente, em termos destas vossas ofertas?

R.L. – A adoção depende do segmento de clientela, mais fácil nos mais jovens, por conviverem e usarem melhor as novas tecnologias e terem um padrão de utilização mais imediato, mais “on the move” e “omni-device”, a que as novas tecnologias de pagamento dão resposta.  Mas temos igualmente boas taxas de adoção em clientes que, independentemente da idade, são independentes e “letrados” no uso das novas tecnologias.

Onde a adoção se pode revelar mais baixa é nos segmentos de clientes com maior iliteracia tecnológica, desde logo os menos preparados academicamente. Além disso, a comodidade e a rapidez da utilização de um cartão físico são ainda imbatíveis por qualquer tecnologia de desmaterialização.

Isso, os aspetos que antecedem, bem como a não detenção de modelos de smartphones capazes de capturar o máximo que a tecnologia permite, levam a que a adoção seja gradual, por layers e por etapas. Mas é uma tendência inevitável.

Que outros caminhos o Millennium bcp está a trilhar em matéria de novas ofertas associadas à tecnologia?

R.L. – Estamos a trilhar os caminhos que, em cada momento, respondem à satisfação das necessidades dos clientes de modo rápido, fácil e cómodo. É o cliente que nos move; a tecnologia é um instrumento.

 

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever