Quantcast
Retalho

Regresso às aulas ‘custará’ a cada família mais de 300 euros

O mais recente estudo do Observador Cetelem, dedicado, desta feita, ao regresso à vida escolar, mostra que cada família portuguesa com estudantes no seu agregado estima gastar 335 euros em material.

Segundo o explicado, este valor está em linha com o verificado em 2020, quando os encarregados de educação estimaram gastar 340 euros, o valor mais baixo despendido pelas famílias para o regresso às aulas nos últimos anos.

Para se ter uma ideia, em 2016, a média de gastos previstos pelas famílias portuguesas, por estudante, era de 455 euros, valor que baixo para 399 euros no ano seguinte, sendo que a rota de decréscimo de gastos neste âmbito já tinha registado o valor de 363 euros em 2019.

“Este ano letivo, 37% tenciona gastar até 250€ (menos 14 p.p. comparando com 2020), nomeadamente os encarregados de educação com filhos que frequentam o ensino Pré-escolar e o 1.º ciclo (49% respetivamente) e que residem na Região Centro (68%). Já 29% dos portugueses com estudantes a seu cargo têm a intenção de gastar em média entre 251€ e 500€ (uma subida de 7 p.p. face a 2020), especialmente os inquiridos com filhos no 3.º ciclo (38%). 6% consideram gastar entre 501€ a 700€ e apenas 1% dos inquiridos tencionam gastar entre 701€ e 1000€”, explica-se em comunicado.

Segundo o evidenciado pelos dados recolhidos, explica o Cetelem, “parece haver uma relação direta entre a intenção de gastos com o regresso às aulas e o nível de ensino: no ensino pré-escolar os gastos médios são cerca de 287€ (-1% face a 20); no 1º Ciclo de 309€ (+6%); no 2º ciclo rondam os 336€ (+5%) e no 3º ciclo 368€ (-8%). Aumentam a partir do ensino secundário, a custar uma média de 390€ (+1%)”.

Os encarregados de educação com filhos no ensino público estimam despender em média 329€ e aqueles cujos estudantes frequentam o ensino privado 372€.