Distribuição

Makro Portugal revê Plano de Contingência para todas as lojas

Makro tem novo sistema de digitalização de faturas eletrónicas

Na sequência da declaração de Estado de Emergência, a makro anunciou a revisão do Plano de Contingência que tinha sido implementado no início do mês em todas as suas lojas em Portugal.  

“Os nossos valores levam-nos a agir de forma preventiva e célere na segurança das nossas pessoas e de toda a comunidade que se relaciona com a makro”, afirma David Antunes, CEO da Makro em Portugal.

Neste sentido, a empresa grossista atualiza a sua estratégia ao nível do funcionamento das suas 10 lojas em território nacional (Braga, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Coimbra, Leiria, Alfragide, Cascais, Palmela, Faro e Albufeira).

  • Redução dos horários de funcionamento das lojas (fecho às 19h) e encerramento de todas as lojas ao domingo;
  • Reforço da sinalética na distância de linhas de caixa e na distância mínima adequada (1 a 2 metros) com outros colaboradores e clientes;
  • Recomendamos aos clientes que preferencialmente efectuem o pagamento através de MB WAY ou cartão;
  • Limitação de duas pessoas por um cartão de cliente;
  • Reforço das medidas de higiene para colaboradores e clientes, através de produtos específicos para o efeito e de sinalética informativa em toda a área comum de circulação de pessoas;
  • Garantia de stocks essenciais e o seu respetivo transporte entre lojas, plataformas e clientes (salvo condicionantes do mercado ou risco de saúde pública);
  • A empresa suspende a devolução de produtos para garantir a segurança alimentar e a saúde dos seus colaboradores e clientes;
  • Com o objetivo de minimizar ao máximo as interações em loja:
    • O pedido de novos cartões será realizado, exclusivamente online, através do site novocliente.makro.pt;
    • A emissão de passes diários vai ser substituída pela utilização da APP makro companion;
  • A empresa recomenda ainda a utilização da APP makro companion para aceder à loja, disponível para Apple ou Android.

“A makro é o ponto de abastecimento principal para inúmeros negócios próprios, mercearias, cantinas, hospitais, clínicas, bombeiros, bancos alimentares, entre outros. A nossa operação não pode nem deve encerrar totalmente. Temos uma missão pública a cumprir. Estamos a fazer os possíveis para conciliar a segurança dos nossos colaboradores e a nossa esfera de atuação com as necessidades dos nossos clientes”, conclui o responsável.

A empresa refere ainda que se encontra a agir preventivamente com vista a limitar possíveis contágios por COVID-19, disseminado nas suas lojas todas as regras de conduta partilhadas pela Direção Geral da Saúde.