Quantcast
Lançamentos

AdegaMãe lança “tesouro da Serra de Montejunto”: Eis o Vital Vinhas Velhas 2018

Vital-Vinhas-Velhas-2018

A AdegaMãe anunciou recentemente o lançamento de mais um dos seus vinhos, destacando o Vital Vinhas Velhas 2018, que descreve como “um tesouro da Serra de Montejunto”.

Produzido “em plena Serra de Montejunto, numa encosta orientada a poente, próxima das aldeias de Avenal e do Pereiro, uma parcela de Vital, com mais de 40 anos, resiste ao clima agreste”, anuncia a marca em comunicado, explicando-se que,  considerando “a especificidade da própria variedade (viticultura difícil), a sua raridade (existem referências a apenas cerca de 20 hectares em todo o país), o local específico (Montejunto é um dos emblemáticos terroirs de expressão da variedade) e… os vinhos que pode originar”, é um “tesouro”.

“Talvez a palavra complexidade seja a que melhor define o Vital. É uma casta reconhecidamente difícil e, por isso, progressivamente abandonada, mas que pode revelar vinhos extraordinários, com uma evolução sublime. Três anos depois da vindima, em 2018, a nossa primeira experiência está precisamente a começar a revelar-se”, afirma o enólogo Diogo Lopes. “Acredito que estamos perante um vinho muito especial, que ajuda a valorizar a variedade e, em particular, o notável trabalho de viticultura desenvolvido pelo produtor, o senhor Delfim, que, desde logo, aceitou desenvolver esta parceria tão especial com a AdegaMãe. Com este Vital podemos inaugurar da melhor forma uma série de novos vinhos de parcela que daremos a conhecer em breve”.

A par do AdegaMãe Vital Vinhas Velhas 2018, as propostas de verão da AdegaMãe agora lançadas incluem ainda a nova colheita 2020 do emblemático Dory Branco, bem como o primeiro Dory Rosé, vinhos que se destacam pelo seu carácter atlântico, de enorme frescura e mineralidade.

“O Dory Branco tornou-se um grande valor do segmento. Um dos excelentes vinhos de verão, fresco, aromático, perfeito para os momentos de brinde ou para as mesas de peixes e de petiscos. A nova colheira honra precisamente esse perfil”, afirma Diogo Lopes. “O nosso novo Rosé dá igualmente seguimento à identidade Dory e é o passo natural na oferta da nossa principal marca, com um vinho fresco, vibrante e delicado”, termina Diogo Lopes.