Quantcast
Retalho

Supermercados britânicos estão a racionar venda de vegetais

supermercado vegetais

Algumas cadeias de supermercados a operar no Reino Unido estão a limitar a venda de produtos hortícolas, nomeadamente vegetais e frutas, depois de uma crise de abastecimento e uma corrida dos consumidores às prateleiras.

De acordo com o noticiado pela imprensa do país, várias cadeias, de entre as quais, mais recentemente o LIDL, estão a limitar a venda de determinados produtos a apenas 3 itens por cliente.

 

A CNBC noticia que “a maior rede de supermercados da Grã-Bretanha, a Tesco, limitou as compras de tomates, pimentões e pepinos a três itens por cliente. A cadeia disse que a mudança foi devido às más condições climatéricas no exterior e estava trabalhando com fornecedores para “fazer as coisas voltarem ao normal””.

Esta segunda-feira a publicação Retail Gazette noticiava que também o LIDL tinha enveredado por esta política, explicando a decisão pelas más condições climatéricas em Espanha e Marrocos, principais mercados abastecedores, que tinham levado à escassez deste tipo de bens.

 

“Embora ainda tenhamos boa disponibilidade na maioria das nossas lojas, devido a um aumento recente na procura, tomámos a decisão de limitar temporariamente a compra de pimentos, tomates e pepinos a três itens por pessoa”, explicou um porta-voz da empresa citado pela referida publicação.

Recentemente, o ministro da agricultura, Mark Spencer, disse estar a trabalhar com os retalhistas para “discutir o que estas empresas estão a fazer para reabastecer as prateleiras”.

 

“A Asda estabeleceu ainda um limite de três itens para alface, sacos de salada, couve-flor e framboesa, enquanto a Morrisons está limitando os compradores a dois itens para pepino, alface, tomate e pimentos”, explica a CNBC, lembrando, a título de exemplo, que “a Grã-Bretanha importa cerca de 95% dos tomates durante o inverno”.

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever