Quantcast
Produção

“Este é um lançamento estratégico para o posicionamento da marca”

Catarina Ferraz

A Bom Petisco lançou, recente, uma nova gama de atum e sardinhas em azeite biológico e atum e sardinhas em tomate biológico, feita a pensar “nos consumidores que optam cada vez mais por um estilo de vida saudável e por consumir produtos biológicos”.

A DISTRIBUIÇÃO HOJE falou com Catarina Ferraz, adjunta da administração para a área de marketing da Bom Petisco, sobre o lançamento desta nova linha de produtos e as expectativas para o futuro.

Porque é que a Bom Petisco decidiu apostar agora neste segmento biológico?

As preocupações com alimentação saudável, consumo consciente e sustentabilidade estão hoje totalmente enraizadas nas rotinas e nas opções dos portugueses. Já não são tendências futuras, são parte integrante do nosso presente. Assim, torna-se crucial que uma marca líder e atenta ao mercado encontre respostas na sua oferta para satisfazer as necessidades dos consumidores mais exigentes e atentos à natureza.

Qual a importância deste novo posicionamento para a marca?

Esta entrada no segmento biológico vem reforçar a missão que Bom Petisco assume perante o mercado: trabalhar diariamente com os nossos clientes para trazer cada vez mais valor e sabor à alimentação dos portugueses. Em paralelo, o lançamento de uma gama BIO nas conservas de peixe representa também uma forte aposta na modernização desta categoria, historicamente mais clássica e tradicional.

Qual a expectativa que a marca possui relativamente a este lançamento?

Este é um lançamento estratégico para o posicionamento da marca. Queremos que os consumidores saibam que somos uma marca responsável, com o propósito de ir ao encontro das necessidades de todos e salvaguardar o que de melhor a natureza tem para dar. É por isso que estamos a lançar uma gama completa com 4 referências e não apenas 1 produto, porque queremos demonstrar o nosso compromisso com o mercado Bio & Saudável e para com os nossos consumidores de conservas.

Consegue avaliar, para já, como tem sido a adesão dos consumidores quanto a estes novos produtos?

Ainda é muito cedo, estamos neste momento a ganhar distribuição e a desbravar caminho neste mercado das conservas biológicas. O segmento Bio & Saudável tem dinâmicas e regras muito próprias, diferentes da categoria clássica das conservas, mas acreditamos que a entrada de Bom Petisco trará certamente um novo ritmo. Para já, a adesão dos clientes é muito representativa e o feedback dos consumidores é muito positivo.

Neste domínio, como é que a Bom Petisco pretende concorrer com outras marcas com segmentos igualmente biológicos?

Cada marca tem o seu posicionamento e a sua estratégia, independentemente do portefólio que apresenta ao mercado. Neste contexto, a Bom Petisco tem argumentos muito válidos e valiosos – é uma marca de grande notoriedade, na qual os consumidores confiam e que tem conjugado tradição e inovação de forma criativa e coerente.

A marca pretende continuar a apostar neste tipo de produtos?

Bom Petisco irá continuar a apostar em produtos de grande qualidade e que acrescentem valor à nossa categoria. Somos líderes inconformados, pelo que há ainda muitos caminhos por explorar e muita vontade de continuar a inovar.

Em jeito de balanço, como é que avaliam este ano de 2020 para a marca?

O contexto pandémico veio alterar alguns hábitos e rotinas de compra e consumo dos portugueses e não é segredo que algumas categorias de FMCG têm tido crescimentos significativos. Temos a sorte de estar inseridos nessas categorias, como a generalidade dos produtos relacionados com o consumo em casa. Assim, podemos dizer que a preferência dos consumidores pelas conservas de peixe e pela nossa marca permitiu ser possível cumprir o nosso plano de inovação para este ano e aprofundar as nossas relações com os parceiros e clientes.

Sente que houve mudanças provocadas pela pandemia de covid-19?

Claro que sim, como certamente em todas as empresas. Tivemos de nos adaptar em todas as vertentes do negócio para responder às novas normas e diretivas, bem como adaptar os investimentos aos tempos de incerteza que vivemos. Felizmente, temos conseguido continuar a trabalhar com toda a responsabilidade e segurança, não deixando de estabelecer objetivos e prioridades estratégicas.

Nesse sentido, quais foram os maiores desafios?

Sem dúvida, a rapidez com que foi necessário alterar processos e procedimentos internos para salvaguardar a segurança dos nossos colaboradores, bem como garantir que o processo produtivo e a cadeia de distribuição não seriam comprometidos. Felizmente, temos conseguido continuar a abastecer os pontos de venda e a levar as nossas conservas até à casa dos portugueses, sempre cumprindo com todas as normas.

Além disso, tivemos de fazer vários ajustes ao nosso plano investimentos em comunicação e patrocínios. Bom Petisco é uma marca que procura sempre a proximidade com o consumidor, pelo que foi necessário procurar novas formas de continuarmos presentes e relevantes na vida dos portugueses.

Pode adiantar quais são os objetivos da marca para o próximo ano?

2021 continuará a trazer muitos desafios e incertezas, pelo que o nosso principal objetivo é garantir tranquilidade e segurança. Vamos fazer o nosso melhor para que os consumidores continuem a confiar em Bom Petisco e nos nossos produtos, garantindo abastecimento e dinamismo na categoria. Será também um ano para continuarmos a surpreender o mercado e a ir ao encontro dos gostos e necessidades de todos, em todos os momentos.