Produção

Coronavírus custa 45 mil milhões de euros em exportações globais

Coronavirus

A desaceleração da produção na China devido ao surto de Coronavírus (COVID-19) está a impactor fortemente o comércio mundial e pode resultar numa redução de 50 mil milhões de dólares (cerca de 45 mil milhões de euros) nas exportações em toda a cadeia de valor global, segundo estimativas publicadas pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD – United Nations Conference on Trade and Development).

Em fevereiro, o Índice de Gestão de Compras (PMI – Purchasing Manager’s Index) do país – um índice crítico de produção – caiu cerca de 22 pontos, para 37,5, o registo mais baixo desde 2004, estimando os analistas o equivalente a uma redução de 2% nas exportações anualmente.

Como a China se tornou o centro de produção central de muitas operações comerciais globais, uma desaceleração da produção chinesa repercute-se em qualquer país, em função da dependência das suas indústrias nos fornecedores chineses.

“Além das graves ameaças à vida humana, o surto de Coronavírus traz sérios riscos para a economia global”, disse o secretário-geral da UNCTAD, Mukhisa Kituyi.

“Qualquer desaceleração da produção numa parte do mundo terá um efeito cascata na atividade económica em todo o mundo por causa das cadeias de valor regionais e globais”.

Impacto_Coronavirus

Segundo estimativas da UNCTAD, os setores mais afetados incluem instrumentos de precisão, máquinas, equipamentos automóvel e comunicação. Entre as economias mais afetadas estão União Europeia (15,6 mil milhões de euros), Estados Unidos (5,8 mil milhões), Japão (5,2 mil milhões), República da Coreia (3,8 mil milhões), Província de Taiwan da China (2,6 mil milhões) e Vietnam (2,3 mil milhões).

Os efeitos globais estimados do COVID-19 estão, no entanto, sujeitos a alterações, dependendo da contenção do vírus e / ou alterações nas fontes de suprimento.