Quantcast
Retalho

Hiper e supermercados são escolha preferencial para compra de material escolar

material escolar

Um novo estudo divulgado pelo Observador Cetelem, relativo ao regresso às aulas em 2021, põe a nu uma tendência mais ou menos visível à vista desarmada: A grande maioria dos portugueses irá fazer as compras de materiais escolares em grandes superfícies.

Estes são, pelo menos, os dados recolhidos por esta instituição, que afirma que 83% dos portugueses prefere este tipo de estabelecimentos para adquirir novos produtos para o ano escolar, um crescimento de sete pontos percentuais face a 2020.

Livrarias e lojas especializadas, com 52% das opções dos consumidores, encontram-se em segundo lugar na preferência dos portugueses, com as papelarias tradicionais a ocuparem o terceiro lugar com 50% das preferências dos portugueses.

A maioria das compras deste tipo de produtos acontecerá, na lógica dos respondentes, duas semanas antes do início do calendário escolar, com 69% dos portugueses a elegerem as lojas físicas para escolha destes materiais, contra 27% que afirmam querer fazê-lo através de meios digitais.

Mas há mais 98% dos encarregados de educação elegem o material essencial, como mochilas, cadernos e canetas como o primeiro destaque das suas listas de compras (98%), seguindo-se equipamento para a realização de aulas de educação física e, em terceiro, artigos de vestuário e calçado para o dia-a-dia, com percentagens, respetivamente de 84% e 72%