“Vamos ter em 2012 um smart downtrading shopper”

Vamos ter em 2012 um smart downtrading shopper

Em entrevista à DISTRIBUIÇÃO HOJE, Paulo Caldeira, diretor de marketing da Kantar Worldpanel, garante que os ‘caminhos’ que ajudarão a Distribuição a aproximar-se do consumidor são “o desenvolvimento de mais setores numa ótica de one stop shopping (multissetores), a fidelização e o online.

Em 2012, quais vão ser os desafios relativos ao consumidor para a Distribuição Moderna?

Tendo em conta o que se passou em 2011, os dados que a Kantar Worldpanel conseguiu apurar sobre o comportamento do shopper indiciam que vamos ter este ano um consumidor ainda mais orientado para o preço, otimizando o dispêndio que faz no Grande Consumo, mas com critérios que visam a conveniência ou o prazer em algumas categoria específicas. Neste sentido, podemos dizer que vamos ter em 2012 um smart downtrading shopper. Os desafios que este novo consumidor levanta implicam um perigo real de redução de valor, que pode ser compensado quer por aumento de preço quer pela utilização de algumas marcas com maior valor acrescentado. O desafio da Distribuição Moderna passa por saber fazer uma oferta orientada ao preço, com soluções que permitam manter o valor dos mercados. Neste ponto, a estratégia relativa à marca da distribuição e às promoções vão ter um papel crítico nos próximos dois anos.

De que modo a fidelização multissetorial é uma oportunidade para a Distribuição?

Tendo em conta o desenvolvimento de assinalável sucesso da Distribuição Moderna em Portugal resta, como um dos poucos vetores de desenvolvimento, o crescimento orgânico das insígnias, uma vez que a penetração não permite grandes incrementos.

Nesse âmbito, a hipótese de captar maior share of wallet do consumidor português é realmente uma das poucas soluções que permitem algum crescimento. 

O online é uma área a investir? Porquê?

No que diz respeito ao Grande Consumo o online em termos mundiais não tem sido uma solução muito lucrativa nem com grande crescimento de faturação. No entanto, o seu papel é crucial para o desenvolvimento do negócio da Distribuição Moderna, quer como fator de consulta e de complementaridade da ação de compra na loja física, quer como resposta a segmentos com maior afinidade com o online, que tem vindo a ganhar crescente importância. Por outro lado, resulta evidente que o online tem que ser totalmente integrado no modelo de negócio das insígnias, quer na vertente pura de e-commerce, quer na vertente de presença e ação nas redes sociais.

Quais os caminhos que ajudarão a Distribuição a aproximar-se do consumidor? 

Já falámos neles, mas de qualquer forma são três eixos: desenvolvimento de mais setores numa ótica de one stop shopping (multissetores), a fidelização e o online.