Empresas

Tiago Simões novo presidente da direção da APAN

Tiago Simões da Sonae MC é o novo presidente da direção da Associação Portuguesa dos Anunciantes (APAN) para o triénio 2020/2023. Eleito na passada quinta-feira, dia 18 de junho, em Assembleia-geral, Tiago Simões sucede a António Casanova, da Unilever FIMA, que esteve durante dois mandatos no cargo.

“É com um enorme sentido de responsabilidade que assumo a presidência da APAN num momento tão desafiador como o atual. A união e cooperação no sector da comunicação nunca foi tão essencial como agora. Enquanto associação de empresas anunciantes, a atuação da APAN é ainda mais necessária, para a valorização da indústria do marketing e da publicidade pelo impacto que esta tem na economia e na sociedade”, afirma Tiago Simões.

A direção liderada por Tiago Simões integra ainda Nuno Pinto Magalhães (Central de Cervejas), que se mantém como vice-presidente; Mónica Serrano (L’Oréal) como secretária; e Carla Santos (Santander) como tesoureira. A direção conta ainda com os vogais Rui Miguel Nabeiro (NovaDelta), Teresa Burnay (Unilever), Helena Gouveia (IKEA), Jorge Aguiar (Mercedes-Benz) e Joana Garoupa (Galp Energia).

Rita Torres Batista (NOS) foi também eleita presidente da Assembleia-geral, e Lia Oliveira (Nobre) e Miguel Salema Garção (CTT) foram nomeados secretários.

Por sua vez, a presidência do Conselho Fiscal da associação fica a cargo de Gonçalo Granado (Nestlé Portugal), coadjuvado João Santos (Grupo Tempus) e Filipa Remígio (Artsana) como vogais.

A associação afirma em comunicado que “a nova direção irá dar seguimento à missão da APAN que se centra em três áreas principais: Media & Metrics, que inclui as atividades relacionadas com a medição de audiências e com os media; Business Development, que integra todas as iniciativas que visem o conhecimento, partilha e o apoio aos profissionais de marketing e comunicação; e Regulação e Deontologia , que inclui matérias relacionados com a defesa do direito à comunicação das marcas, de forma responsável e em resposta à expetativas dos cidadãos.