Quantcast
Distribuição

Jerónimo Martins com vendas de 14,6 mil M€ em 2016

Colaboradores do Pingo Doce aprovam banco de horas

O Grupo Jerónimo Martins registou em 2016 vendas líquidas de 14,6 mil milhões de euros, um crescimento de 6,5 pontos percentuais face ao período homólogo. De acordo com os resultados apresentados pela empresa esta quinta-feira (12 de janeiro), a Biedronka foi a insígnia que registou mais vendas, com um total de 9 781 milhões de euros que correspondem a 66,9% do total das vendas do grupo.

A Biedronka, insígnia da Jerónimo Martins para o mercado polaco, conta já 2722 lojas e definiu como prioridade do ano “a consolidação da revisão da oferta iniciada em 2015, promovendo uma abordagem mais integrada e, por isso, mais ágil na adequação às necessidades e aspirações do consumidor.”

Por outro lado, a rede de parafarmácias Hebe, que opera também na Polónia com um total de 153 lojas, registou vendas de 122 milhões de euros, um crescimento de 22,1 pontos percentuais.

Já a Ara, insígnia do grupo na Colômbia, obteve vendas de 236 milhões de euros e terminou o ano com 221 lojas.

Pingo Doce com vendas de 3 558 M€

No mercado nacional, o Pingo Doce fechou o ano de 2016 com vendas de 3 558 milhões de euros, um crescimento de 4,4% face ao período homólogo. De acordo com o Grupo Jerónimo Martins, “o Pingo Doce deu continuidade a uma forte dinâmica promocional, garantindo, em simultâneo, qualidade e inovação na sua oferta de marca própria. A companhia prosseguiu a execução do seu programa de remodelações de loja, com vista à melhoria contínua da experiência global de compra.”

Já o Recheio, cadeia grossista do grupo, viu as suas vendas registarem um incremento de 5,9% para 878 milhões de euros, o que terá sido fruto “da melhoria registada no segmento HoReCa em resultado da forte atividade turística em Portugal.”