Retalho

Farfetch com prejuízos de 89,6 M$ no segundo trimestre

Farfetch com prejuízos de 89,6 M$ no segundo trimestre

A Farfetch terminou o segundo trimestre do ano com prejuízos de 89,6 milhões de dólares, mais 409% que no período homólogo. As receitas da empresa atingiram os 209 milhões de dólares, mais 43% do que em igual período do ano passado.

José Neves, fundador, CEO e co-presidente da plataforma de moda de luxo, afirma que “a Farfetch continuou a apresentar crescimento. A nossa proposta impulsionou o crescimento além das nossas expectativas, mas também do crescimento da indústria de artigos de luxo pessoais on-line, à medida que continuamos a ganhar posição de mercado”.

“A indústria validou ainda mais o nosso modelo global no último ano, já que vimos grandes grupos de luxo aumentarem a sua oferta direta na nossa plataforma e, ao mesmo tempo, anunciarem planos para reduzir a distribuição” tradicional.

A publicação dos resultados acontece no mesmo dia em que a empresa anuncia a aquisição da New Guards, plataforma de marcas com a Off-White, Palm Angels, Marcelo Burlon County of Milan, Heron Preston, Alanui,Unravel Project e Kirin Peggy Gou. De acordo com José Neves esta operação permite à Farfetch posicionar-se “de forma única para capacitar criadores, curadores e consumidores e ajudar a preservar” os valores do grupo.

Recorde-se que no passado mês de julho, o grupo editorial Condé Nast, que detém a revista Vogue e a The New Yorker, vendeu a participação que detinha na Farfetch por cerca de 261 milhões de euros. Por detrás decisão estão alegadas preocupações da empresa em relação à gestão da Farfetch e ao investimento que a empresa está a fazer em Marketing.