Quantcast
FMCG

Mercados emergentes já gastam mais em FMCG do que mercados desenvolvidos

produtos premium

Os gastos em FMCG em mercados emergentes cresceram 34 mil milhões de dólares em 2016, mais 6% do que no período homólogo. De acordo com o mais recente estudo Brand Footprint da Kantar Worldpanel, os mercados emergentes gastaram, pela primeira vez, mais do que os mercados desenvolvidos em bens de grande consumo (51% vs 48%).

Os países emergentes foram, assim, responsáveis por todo o crescimento em valor do FMCG ao longo de 2016. Os países que mais contribuíram foram a Rússia (14%), o Sri Lanka (9%), a Indonésia e as Filipinas (6%). Importa ainda referir que, de acordo com o relatório, cada decisão de consumidor por uma marca vale 1,92 dólares.

Na edição deste ano, o estudo revela que a marca mais escolhida foi, pelo quinto ano consecutivo, a Coca-Cola, com uma penetração de 42%. No entanto, só existe uma marca que é escolhida por mais de 50% da população mundial, a marca de dentífricos Colgate. A marca de higiene Dettol foi a que mais cresceu no ranking no último ano, entrando agora no top 50.

Importa ainda referir que 21 marcas são escolhidas mais de 1 bilião de vezes. Dentro do top 10, marcas como Sunsilk (+12%), Colgate (+1%) e Nestlé (+1%) conseguiram aumentar o seu CRP no último ano, com a Sunsilk a entrar pela primeira vez para o Top 10 das marcas mais escolhidas. A Dove, por sua vez, atraiu mais lares novos em 2016, com mais 14 milhões de lares a escolherem a marca no último ano.

Josep Montserrat, Global CEO da Kantar Worldpanel, explica que “ser escolhida por mais pessoas, com mais frequência, é a forma das marcas crescerem. Perceber onde encontrar as oportunidades mais valiosas – seja numa região emergente com população em crescimento ou inovando para atender a necessidades por explorar num mercado mais desenvolvido – é crítico para todas as marcas. Com o Brand Footprint procuramos quantificar o valor da escolha do consumidor e partilhar alguns dos melhores exemplos de estratégias de marcas que conseguiram crescer.”

2 Comments