Economia

Exportações e importações: balança deficitária em 1.631 milhões€

Procura interna com maior influência que as exportações no crescimento do PIB

Em maio de 2019, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de +8,7% e +14,7%, respetivamente, acelerando face ao mês anterior (+3,1% e +11,4% em abril de 2019, pela mesma ordem), revelam os números mais recentes do Instituto Nacional de Estatísticas (INE).

O défice da balança comercial de bens atingiu 1.631 milhões de euros em maio de 2019, correspondente a um aumento de 480 milhões de euros face ao mês homólogo de 2018. Excluindo os Combustíveis e Lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1.197 milhões de euros, registando um aumento do défice de 206 milhões de euros em relação a maio de 2018.

Os números do INE mostram que, em maio de 2019, em termos das variações homólogas mensais, as exportações aumentaram 8,7%, correspondendo a uma aceleração face ao mês anterior (+3,1% em abril de 2019), principalmente em resultado da evolução registada no Comércio Intra-UE. Destaca-se o aumento de 21,9% das exportações de Material de Transporte (contribuindo em +4,1 p.p. para a taxa de variação homóloga total), principalmente devido à exportação de Outro Material de Transporte (maioritariamente aviões). As importações cresceram 14,7% (+11,4% em abril de 2019), devido à evolução registada em ambos os tipos de comércio. Destaca-se o aumento das importações de Material de Transporte (+27,4%), em resultado principalmente da aquisição de Outro Material de Transporte (sobretudo aviões), e de Combustíveis e Lubrificantes (+43,2%), contribuindo em +4,7 p.p. e +4,0 p.p., respetivamente, para a taxa de variação homóloga.

Excluindo os Combustíveis e Lubrificantes, em maio de 2019 as exportações aumentaram 9,9% e as importações cresceram 11,8% em termos homólogos (+4,6% e +10,7%, respetivamente, em abril de 2019).

No que respeita às variações face ao mês anterior, em maio de 2019 as exportações aumentaram 12,7% (-3,7% em abril de 2019), essencialmente em resultado do aumento no comércio Intra-UE (+12,6%). As importações aumentaram 6,2% (-1,6% em abril de 2019) sobretudo devido à evolução do comércio Intra-UE (+6,3%). Estas variações estarão em parte relacionadas com o facto de maio ter tido mais 2 dias úteis que abril.

No trimestre terminado em maio de 2019, as exportações e as importações aumentaram, respetivamente, 5,6% e 12,3%, face ao trimestre terminado em maio de 2018 (+4,5% e +11,2%, pela mesma ordem, no trimestre terminado em abril de 2019).

Em maio de 2019, tendo em conta os principais países de destino, em 2018, o INE destaca os acréscimos, em termos homólogos, nas exportações para França (+21,7%), essencialmente de Combustíveis e Lubrificantes e de Automóveis para transporte de mercadorias e para a Alemanha (+11,6%) devido sobretudo ao aumento das exportações de Automóveis para transporte de passageiros. O maior decréscimo registou-se nas exportações para Angola (-9,2%).

Em relação aos principais fornecedores, em 2018, em maio de 2019 destacam-se os aumentos, em termos homólogos, nas importações de França (+60,7%) devido sobretudo ao aumento das aquisições de Outro Material de Transporte (maioritariamente aviões). Registaram-se também aumentos significativos nas importações provenientes da Alemanha (+9,6%), principalmente pela aquisição de Máquinas e Aparelhos, e do Reino Unido (+49,4%) onde se registou um aumento da aquisição de Combustíveis e Lubrificantes (Óleos brutos de petróleo).