Quantcast
BGC

Marcas de Distribuição continuam a cair

Vendas no retalho abrandam para 3,8%

Os Bens de Grande Consumo (BGC) registaram uma quebra nas vendas de cerca de 0,1% entre 16 de maio e 12 de junho deste ano. Os números são do Scantrends da Nielsen, que indicam que no período em análise as marcas de Distribuição (MDD) mantiveram a tendência negativa, com perdas de 1,9%, enquanto as marcas de Fabricante (MdF) registaram um ligeiro crescimento de 0,9% nas vendas.

A categoria Alimentação cresceu 0,7%, impulsionada sobretudo pelas marcas de Fabricante que registaram um aumento nas vendas de 2,3%. Já as MDD viram as suas vendas cair 1,6%.

O segmento de Bebidas, que tem vindo a registar quebras nas vendas, manteve a tendência negativa e no período em análise desceu 2,4%. Segundo a Nielsen, “o decréscimo deve-se essencialmente às bebidas não alcoólicas, o que estará provavelmente relacionado com as condições climatéricas menos favoráveis.” Aqui, tanto as marcas de Fabricante como as marcas de Distribuição registaram evoluções negativas, com quebras de 0,9 e 8,8%, respetivamente.

Higiene do Lar, por outro lado, continua a crescer e no período em análise viu as suas vendas aumentar 1,2%, sagrando-se a categoria que mais cresceu não só neste período, mas também no primeiro semestre de 2016. Esta evolução deve-se essencialmente às marcas de Fabricante, que cresceram 3,6%, já que as MDD caíram 3,6 pontos percentuais.

Higiene Pessoal, à semelhança da categoria de Bebidas, registou perdas de 1,7% nas vendas, uma quebra que, de acordo com a Nielsen, se deve sobretudo a uma diminuição de 3,5% nas vendas das marcas de Fabricante, até porque as MDD cresceram 4,7%.