Quantcast
Retalho

JLL prevê crescimento do mercado imobiliário de retalho à boleia do turismo

Investimento em imobiliário comercial atinge os 1,02 biliões de dólares

A JLL prevê que 2018 seja um ano “ativo” para o mercado imobiliário de retalho, que deverá crescer positivamente influenciado pelo mercado do turismo. A conclusão consta do mais recente estudo ‘Market 360º’ da consultora imobiliária, que refere ainda que o crescimento deste mercado será impulsionado pela confiança dos consumidores portugueses.

De acordo com a JLL, o pipeline de centros comerciais para os próximos dois anos é de 62 000 metros quadrados, gerado apenas na expansão de empreendimentos já existentes, nomeadamente o Norte Shopping e o Centro Comercial Colombro, o Oeiras Parque e o Glicínias Plaza (Aveiro).

No comércio de rua, a procura por zonas prime “manter-se-á muito dinâmica em Lisboa e no Porto, o que deverá continuar a gerar expansão das zonas de retalho para ruas mais secundárias”, acrescenta o estudo da consultora.

Pedro Lancastre, Diretor Geral da JLL, explica que “o panorama [nacional] é muito positivo e é antecipado com base num padrão de crescimento que é progressivamente sustentado e sustentável. Os desafios do mercado estão hoje sobretudo centrados na necessidade de reforçar a nova oferta de habitação de escritórios, já que o stock disponível de qualidade e ajustado às várias franjas da procura começa a escassear, limitando a atividade. E também em sabermos, como país, manter a estabilidade a nível político e macroeconómico, incluindo em termos de política fiscal; e continuar o percurso de credibilização internacional. Se soubermos responder de forma eficaz a estes desafios, os ingredientes estão todos reunidos para prolongar o bom momento do mercado imobiliário até para além de 2018”.