Retalho

Retalhistas europeus apostam em alternativas à carne para dar resposta a tendências de consumo

Retalhistas europeus apostam em alternativas à carne para dar resposta a tendências de consumo

O retalhista britânico Waitrose revelou na passada semana que, em 2017,  as vendas de produtos vegan e vegetarianos cresceram cerca de 85% nas suas lojas. Para dar resposta a esta tendência de consumo, a insígnia anunciou que vai alargar a sua gama de produtos vegetarianos de marca própria com 25 novas referências.

Chloe Graves, Waitrose Chilled Vegetarian and Vegan Buyer, sublinha que “o crescente ‘apetite’ por pratos sem carne refletiu-se no crescimento das vendas de produtos vegan e vegetarianos ao longo de todo o ano, assim como na introdução de novos produtos”.

De acordo com a responsável, os novos produtos “incluem refeições completas para um jantar rápido e fácil, assim como acompanhamentos básicos, para provar que uma refeição vegetariana ou vegan não tem que comprometer o sabor”.

Alternativas à carne são a grande aposta dos retalhistas europeus

Também esta semana, o retalhista suíço Migros anunciou o lançamento de uma gama de produtos à base de insetos, uma forma de “promover conceitos alimentares inovadores e sustentáveis que garantam a nutrição no futuro”.

Sob a marca Mi Bugs, a nova gama à base de insetos conta com três referências – Mi Bugs Mealworms, Mi Bugs Grilling e Mi Bugs Locusts – que já estão disponíveis nas lojas da insígnia e que têm um prazo de validade de um ano, sem necessidade de refrigeração.

Os insetos fazem parte da dieta da população de vários países do mundo e possuem um elevado teor de proteína, ácidos gordos não saturados, minerais e vitaminas. Para promover o consumo deste tipo de alimentos, a Migros já anunciou também que irá iniciar em breve um curso de culinária para ensinar os seus clientes a cozinhar com insetos.

Em maio deste ano, foi criada a Portugal Insect – Associação Portuguesa de Produtores e Transformadores de Insetos. Fundada pela Entogreen, a Portugal Bugs e a Nutrix, esta associação pretende representar os produtores e transformadores portugueses de insetos, que são cada vez mais vistos como uma alternativa a outras proteínas na alimentação humana e como fertilizantes para solos agrícolas.