Quantcast
Economia

Ordem dos Nutricionistas aplaude taxa sobre o sal

Ordem dos Nutricionistas aplaude taxa sobre o sal

O Orçamento do Estado para 2018 prevê novos aumentos de impostos para as bebidas açucaradas e a criação de uma nova taxa para alimentos com alto teor de sal, uma medida aplaudida pela Ordem dos Nutricionistas. A proposta do Orçamento do Estado para 2018 prevê a criação de um imposto sobre bolachas, biscoitos, cereais e batatas fritas que tenham um teor de sal igual ou superior a 1 grama por cada 100 gramas de produto, sendo aplicada uma taxa de 0,80 cêntimos por quilograma.

Em comunicado, a organização diz ainda que “aplaude o Governo pelo acordo estabelecido com a Associação do Comércio e da Indústria de Panificação para a redução do teor máximo de sal na comercialização de pão em Portugal.”

 

“O consumo excessivo de sal é um hábito alarmante, que exige uma ação forte do Estado, muito para além de medidas fiscais isoladas, como também iniciativas que incentivem a alimentação saudável, nomeadamente uma maior disponibilidade dos alimentos saudáveis e a promoção de literacia nesta área”, defende Alexandra Bento, Bastonária da Ordem dos Nutricionistas.

De acordo com a representante dos nutricionistas portugueses, “o acordo com as panificadoras é uma das medidas a seguir, sendo um exemplo de como se pode reduzir o consumo de sal na alimentação dos portugueses”. A bastonária realça ainda que “vários alimentos confecionados são perigosos veículos de sal, pelo que devem ser celebrados outros acordos, nomeadamente com a restauração coletiva e pública”.

Para a Ordem dos Nutricionistas, a verba reunida com a nova taxa deve ser aplicada diretamente em medidas de melhoria dos hábitos alimentares, na disponibilização de mais nutricionistas dentro e fora do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e no estabelecimento de acordos de autorregulação com a indústria alimentar.