Quantcast
Sustentabilidade

Embalagens descartáveis têm menor impacto que loiça reutilizável, revela estudo

Um estudo revela que embalagens descartáveis de papel para alimentos e bebidas – usadas em restaurantes de serviço rápido europeus – têm menor impacto ambiental do que as soluções reutilizáveis (plástico, vidro, cerâmica). A Análise ao Ciclo de Vida (Life Cycle Assessment – LCA) foi realizada pela Ramboll, consultora dinamarquesa independente, e divulgada pela European Paper Packaging Association (EPPA), em comunicado.

A Análise concluiu que o consumo de energia na utilização de plástico reutilizável ou loiças tradicionais supera o impacto ambiental da utilização recorrente de recipientes de papel descartável. O período analisado foi de um ano. Os recipientes reutilizáveis geraram mais 177% de emissões de CO2, consumiram mais 267% de água doce, produziram mais 132% de partículas finas, aumentaram o esgotamento fóssil em 238% e a acidificação terrestre em 72% do que recipientes de utilização única de papel e cartolina, revela o estudo.

“O principal problema dos recipientes reutilizáveis é a energia e a água que consomem durante a lavagem e secagem para garantir que são bem higienizados e seguros para serem reutilizados pelos clientes. Isto também é confirmado quando são aplicadas as mais eficientes tecnologias de lavagem de loiça. O que significa que a utilização única é melhor para o clima e não agrava os problemas de stress hídrico, um problema crescente em muitos países europeus”, afirmou Antonio D’Amato, presidente da EPPA.

A EPPA também informa que 100% dos recipientes descartáveis de papel existentes fabricados pelos seus membros e utilizados na Europa são provenientes de florestas geridas de forma sustentável.