Quantcast
Sustentabilidade

Mais de metade dos portugueses venderam bens em segunda mão no último ano

Mais de metade dos portugueses venderam bens em segunda mão no último ano

O consumidor-vendedor está cada vez mais a afirmar-se nos últimos anos. De acordo com o estudo do Barómetro Europeu do Consumo Cetelem 2022, seis em cada dez portugueses declaram ter vendido bens em segunda mão no último ano, um valor igual à média dos europeus.

Por faixas etárias, é entre os menores de 35 anos que a prática é mais comum, com oito em cada dez a vender bens em segunda mão. No último ano, 4% dos portugueses venderam bens com frequência semanal, 12% mensalmente e 45% algumas vezes por ano.

 

A principal razão identificada para este tipo de práticas de economia circular é a económica, isto é, obter rendimentos adicionais. De acordo com o apurado no estudo, os ganhos médios europeus mensais obtidos situam-se nos 77 euros. Em Portugal os consumidores estimam ter ganho 50 euros por mês.

Em termos geracionais, os cidadãos com menos de 35 anos chegam a ganhar 103 euros por mês e os que têm mais de 50 anos geram apenas 42 euros. Por género, os inquiridos do género masculino ganham quase o dobro do género feminino (98 euros contra 58 euros).

 

Outro dado interessante é que, entre os maiores de 50 anos, 61% optam por doá-los a uma instituição de caridade ou entregá-los gratuitamente e apenas 24% os veem como uma oportunidade de ganhar dinheiro.

Metodologia:

O inquérito quantitativo aos consumidores foi conduzido pela Harris Interactive entre 5 e 19 de novembro de 2021, em 17 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Dinamarca, Espanha, França, Hungria, Itália, Noruega, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia, Reino Unido, Eslováquia e Suécia. Foram realizados inquéritos online num total de 15 800 indivíduos (através do método CAWI).