Retalho

El Corte Inglés Portugal com vendas de 479 M€ em 2017

Caixas dos supermercados do El Corte Inglés vão dar para ‘levantar’ dinheiro

O El Corte Inglés Portugal registou, em 2017, um volume de negócios de cerca de 479,3 milhões de euros, um crescimento de 5,9% face ao período homólogo. De acordo com os resultados publicados pela companhia esta quinta-feira (26 de julho), os lucros atingiram os 24,6 milhões de euros.

O EBITDA cresceu 22%, fixando-se nos 51 milhões, e os custos e as despesas de exploração chegaram aos 428 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 4,3% em relação ao ano anterior e que, segundo a empresa, reflete “o esforço feito pela empresa na modernização das suas lojas e na ampliação dos seus serviços e da sua oferta, com especial destaque para os novos espaços e conceitos.”

É o caso do Gourmet Experience de Lisboa, a inauguração da Loja de Moda Online, a criação de novos espaços, a renovação das áreas mais clássicas, o alargamento da oferta e a incorporação de novas marcas e novos conceitos de alimentação biológica nas Lojas de Lisboa e Gaia Porto.

Em 2017, a empresa reforçou a sua aposta em fornecedores portugueses, quintuplicando as encomendas, sobretudo nas áreas de têxtil-lar, casa e decoração e moda.

“O El Corte Inglés em Portugal está cada vez mais empenhado na qualificação da sua oferta, procurando, com esta estratégia, atrair os clientes mais exigentes, sejam nacionais, sejam estrangeiros. Neste sentido, além das novas marcas que foram sendo incorporadas este ano, tem redobrado os seus esforços para aumentar a oferta de produtos nacionais de qualidade e incrementado o recurso a fornecedores nacionais para a produção e confeção das suas marcas próprias”, sublinha a empresa.

Grupo quer “reforçar o negócio digital”

No global, o Grupo El Corte Inglés encerrou o ano de 2017 com um aumento de 2,8% no volume de negócios, com as vendas a atingirem os 15 935 milhões de euros. O EBITDA atingiu os 1 054 milhões de euros, mais 7,4% que no exercício anterior, enquanto o resultado de exploração cresceu quase 29% até aos 412 milhões. Os lucros, por sua vez, aumentaram 25% para 202 milhões de euros.

Importa referir que os Grandes Armazéns continuam a ser o principal formato comercial do Grupo, tendo alcançado um volume de negócios de quase 11 400 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 3,2% face a 2016.

Em 2017, o Grupo El Corte Inglés investiu cerca de 425 milhões de euros, nomeadamente em projetos de reformas e melhorias nas lojas e nos grandes armazéns do grupo e em melhorias tecnológicas para “reforçar o negócio digital”.

A aposta na omnicanalidade, diz a companhia, permitiu que em 2017 se registasse um incremento de 32% no número de encomendas e de 26% em faturação.

No futuro, a companhia irá investir em “três grandes eixos estratégicos”: posicionar-se como “uma montra de excelência para as marcas”; “investir na qualificação das lojas, sejam elas físicas ou online”; e apostar na “internacionalização, sobretudo através das marcas mais relevantes.”