Quantcast
Produção

Pós-Covid e contexto inflacionista podem levar… ao sucesso de pequenas marcas

Com o mundo ainda a reorganizar-se depois do impacto da pandemia de Covid-19, o novo contexto de guerra e subida abrupta de preços está a causar alguma disrupção e a ‘empurrar’ o consumidor para escolhas mais ponderadas.

Um novo relatório, da Nielsen IQ, mostra que os consumidores estarão hoje mais dispostos a livrar-se dos laços com as grandes marcas para dar uma oportunidade a marcas de menor expressão mundial.

 

Para se ter uma ideia, no estudo ‘Brands Balancing Act’ da NielsenIQ, mostra-se que os consumidores olham para grandes e pequenas marcas de formas diferentes. “Entre as principais características de acordo com os entrevistados estão que marcas menores tendem a ser “locais” (33%), “independentes” (31%) e “desconhecidas” (27%). As grandes marcas, por outro lado, são vistas como “muito populares, reconhecíveis ou mundialmente conhecidas” por 46% dos pesquisados”, pode ler-se nas conclusões do estudo.

Porém, este não é facto único.  “(…) Mais da metade dos consumidores globais inquiridos ​​(51%) dizem que estão a comprar uma variedade maior de marcas do que antes da Covid-19. Isso aumenta o potencial de os consumidores realmente comprarem marcas menores”, explica-se, lembrando-se ainda que “67% dos entrevistados a nível mundial acham que se procurarem com atenção, poderão encontrar uma marca que atenda exatamente às suas necessidades”.

 

Para terminar, quase metade dos consumidores defende ainda que uma marca de menores dimensões pode servir melhor as suas intenções de consumo. Assim, “na verdade, 48% dos entrevistados dizem que planeiam comprar mais de marcas menores no futuro, pois são mais adequadas às suas necessidades.”