Sustentabilidade

Recolha Seletiva do têxtil passa a ser obrigatória em 2025

Recolha Seletiva do têxtil passa a ser obrigatória em 2025

A partir de 2025, passa a ser obrigatória a Recolha Seletiva dos têxteis, uma medida que tem como objetivo reduzir o impacto desta indústria no ambiente. Para celebrar o Dia da Reciclagem (17 de maio), a associação Humana revela que, em relação ao setor do têxtil, já se sabe que das 195 mil toneladas das quais os portugueses se desfazem, apenas 4,3% se recolhe seletivamente.

A União Europeia (UE) já determinou que os têxteis que são descartados deverem ser recolhidos seletivamente de modo obrigatório antes de 2025, o que permitirá a seleção do que pode ser reciclado ou reutilizado. Esta medida visa criar uma maior rede de gestão sobre estes resíduos têxteis, evitando assim que prejudiquem o ambiente.

Segundo a Comissão Europeia, por cada quilo de roupa que se reutiliza, estamos a evitar a emissão de cerca de 3169 quilos de CO2 para a atmosfera.

Em comunicado, a associação Humana sublinha que “há ainda muito a ser feito. Faltam medidas legislativas, é necessário aumentar ações de sensibilização e consciencialização, reforçar a transparência do sector de gestão de resíduos e facilitar meios de depósito de doações em contentores apropriados aos cidadãos. Portugal conta atualmente com mais de 43 mil ecopontos, ou seja, um ecoponto por cada 250 portugueses. Em 2025 espera-se que este número aumente significativamente.”