Consumo

Há mais portugueses a usar cartão de crédito nas compras de Natal

pagar com cartão de crédito

Este ano, existem mais portugueses com intenção de utilizar o cartão de crédito nas compras de Natal. De acordo com o estudo ‘Observador Cetelem Natal 2017’, o aumento foi de 3%, com o valor médio da intenção de compras por esta via a atingir um total de 421 euros por utilizador.

De acordo com o estudo, a impulsionar este aumento está o cashback nos cartões de crédito (44%), que é uma das ofertas mais valorizadas pelos consumidores, a par do desconto direto nos produtos (91%) e dos cartões de fidelização (78%).

“27% dos inquiridos referem que vão utilizar o seu cartão para os presentes natalícios, mais 3% que no ano passado, e mais 9% face a 2015. Aliás, numa análise aos valores divulgados desde 2011, verifica-se que este é o ano em que mais portugueses pretendem utilizar o cartão de crédito”, indica o estudo.

Importa ainda referir que o número de consumidores com cartão de crédito também aumentou, atingindo o maior valor dos últimos seis anos. Em 2017, 44% dos inquiridos têm um cartão, mais 7% face ao ano anterior, e mais 15 pontos percentuais face a 2015. Apenas em 2012 o valor percentual se aproximava tanto do deste ano, com 40% dos inquiridos a referir ter cartão de crédito.

“Refira-se que, e apesar do aumento das intenções de utilização do cartão de crédito para o período natalício, 97% dos inquiridos no estudo do Observador Cetelem Natal 2017 garantem não pretender subscrever qualquer cartão”, refere ainda o estudo.

No que diz respeito aos cartões de fidelização, 78% dos inquiridos revelam ter intenções de os utilizar neste Natal, mais 20 pontos percentuais face ao ano passado. 71% pretendem gastar o mesmo valor, enquanto 3% vão gastar mais e 4% menos.

Pedro Camarinha, Diretor Distribuição do Cetelem, sublinha que “os portugueses voltam a ter maior predisposição para utilizar cartões de crédito, mas as premissas para a sua utilização são diferentes das que se verificavam há alguns anos, procurando sobretudo tirar partido das vantagens associadas, como os Cash backs ou fórmulas de reembolso sem juros. Os consumidores tomam decisões de forma cada vez mais ponderada, os gastos não estão associados ao consumo excessivo ou supérfluo. Quem utiliza o cartão de crédito ou de fidelização fá-lo com responsabilidade. E isso é deveras positivo.”