Quantcast

Landing Page Conferências DH 2020

07 de julho | Uma resposta pronta em cadeia

Apresentação
UMA ‘SUPPLY CHAIN’ INTEGRADA E RESILIENTE
A cadeia de abastecimento foi alvo de forte pressão com a pandemia e utilizou ferramentas (tendências tecnológicas e as suas possíveis aplicações) para mitigar as consequências para o retalho e consumidor.
Francisco Rocha, Senior Manager, Capgemini

Entrevista
UMA RESPOSTA, EFETIVAMENTE, PRONTA E EM CADEIA
Os receios de que a cadeia de abastecimento não fosse capaz de responder eficaz e eficientemente ao confinamento e ao crescimento exponencial do e-commerce foram enormes. No entanto, a resposta foi pronta e deu garantias a todos.
Raúl Magalhães, Presidente, APLOG

1.ª Mesa Redonda
O DESAFIO À ‘SUPPLY CHAIN’
A capacidade de reação do setor da logística e dos transportes, que de um dia para o outro teve de dar resposta a um aumento exponencial das compras através dos canais digitais do retalho, foi o centro da 1.ª mesa da 3.ª e última Conferência DH Live.
A conversa com Pedro Azevedo (Transportes Paulo Duarte), Ricardo Batista (Glovo), Cristina Mesquita (Euromadi Portugal) e Hugo Teixeira (Farmodiética/Dieta3Passos)

2.ª Mesa Redonda
TECNOLOGIA ACELERA A CRIAÇÃO DE UMA ‘SUPPLY NETWORK’
Se a pressão sobre a cadeia de abastecimento foi enorme, a tecnologia permitiu aos operadores responder de forma imediata. Os dados assumiram especial importância e a partilha entre players foi essencial para uma lógica de colaboração.
A conversa com Luís Freitas (Zetes), Diogo Lourenço (SAS), Flávio Guerreiro (LPR) e Manuel Fontes (Wtransnet)

22 de junho | E-commerce: necessário ou obrigatório?

Apresentação
“A ‘NOVA’ NORMALIDADE NA ELETRÓNICA”
Tal como nos Fast Moving Consumer Goods (FMCG), também o mercado de Bens Tecnológicos de Consumo (BTC) registou uma profunda alteração nos hábitos de compra, devido ao confinamento e resultante teletrabalho e telescola.
Miguel Faias, Retail Manager, e Rui Reis, Key Account, GfK

Miguel Faias, Retail Manager, e Rui Reis, Key Account, GfK
Gabriel Coimbra, Diretor-geral da IDC

Entrevista
UMA DIGITALIZAÇÃO PARA FICAR
É na crise que surgem as grandes estratégias e desafios. Desde março de 2020 que a digitalização faz parte do léxico dos portugueses, seja pelas compras, pelo trabalho, pela escola, pelo lazer e entretenimento. Uma coisa é certa: o digital veio para ficar.
Gabriel Coimbra, Diretor-geral da IDC

1.ª Mesa Redonda
VEM AÍ A ERA DO ‘HUMAN-COMMERCE’
Há um espaço por ocupar no digital, independentemente de falarmos de grandes empresas ou pequenas empresas. Seja no retalho alimentar ou no não alimentar, a pandemia veio obrigar os operadores a focarem-se em exclusivo no canal online, o que poderá ter como consequência a emergência de um novo tipo de comércio: o human-commerce.
A conversa com Gonçalo Lobo Xavier (APED), Pedro Santos (Sonae MC), Helena Gouveia (IKEA) e Paulo Raposo (Mastercard)

VEM AÍ A ERA DO ‘HUMAN-COMMERCE’
A INEVITÁVEL PRESENÇA DOS PEQUENOS COMERCIANTES NO ‘ONLINE’

2.ª Mesa Redonda
A INEVITÁVEL PRESENÇA DOS PEQUENOS COMERCIANTES NO ‘ONLINE’
Atualmente, não é possível uma empresa não ter uma presença online, não aceitar pagamentos eletrónicos, não ter algum tipo de sistema de entrega em casa. Os comerciantes mais pequenos tiveram de se adaptar e acelerar um processo que era inevitável: a presença online.
A conversa com Paulo Gomes (Granvine), Fernando Amaral (Comerciantes.pt) e Alexandre Nilo Fonseca (ACEPI).

26 de maio | O “novo” consumo

Apresentação
“O NOVO NORMAL”
A pandemia de COVID-19 trouxe consigo mudanças nos hábitos de consumo e fez emergir e acelerar novos hábitos um pouco por todo o mundo. De acordo com a Kantar, são três as grandes tendências gerais para o “novo” normal do consumo: uma nova vaga de compradores digitais, uma maior consciência do valor e o reforço da importância da produção local.
Marta Santos, Manufacturers Sector Director da Kantar

Marta Santos
João Duque

Entrevista
NOVA CRISE = NOVO CONSUMO
A crise de 2011/2012 foi financeira. A atual é económica. Existem formas diferentes de viver e conviver, de comprar e consumir, e, fundamentalmente, de sair desta crise? Teremos menos compras por impulso? O e-commerce e a proximidade serão as grandes tendências a sair desta crise? O apelo ao consumo do que é nacional será um dos legados desta crise? Como preparar-se para uma 2.ª vaga do surto?
João Duque, economista, professor de finanças e ex-presidente ISEG

Mesa Redonda
O CONSUMIDOR E CONSUMO PÓS-COVID
A capacidade de reinvenção do setor do retalho, o online, alteração de comportamentos, o consumo típico de um momento atípico, alteração do mix de consumo, o dramatismo do fecho do Horeca e subsequente quebra no consumo, o reforço das compras à produção nacional, a proximidade, a rentabilidade do online.
A conversa com Gonçalo Lobo Xavier (APED), Pedro Pimentel (Centromarca), e Filipe Bonina (SCC).

Mesa redonda