Quantcast
Distribuição

Vendas da Jerónimo Martins crescem 14,2% no arranque do ano

Jerónimo Martins investirá entre 700 e 750 milhões de euros em 2019

O Grupo Jerónimo Martins terminou o primeiro trimestre do ano com vendas de 4,2 mil milhões de euros, um crescimento de 14,2% face ao período homólogo. De acordo com os resultados publicados esta quinta-feira (26 de abril), o lucro da companhia chegou aos 85 milhões de euros nos primeiros três meses do ano, mais 9,1% do que em 2017.

Pedro Soares dos Santos, Administrador e Presidente Delegado do Grupo Jerónimo Martins, sublinha que “o foco nas vendas e o efeito favorável do calendário da Páscoa traduziram-se num forte arranque de ano para o Grupo Jerónimo Martins (…) Todas as insígnias contribuíram positivamente para o bom desempenho das vendas.” O EBITDA do Grupo cifrou-se em 215 milhões de euros, já considerando o impacto dos custos de pessoal acrescidos, em virtude das revisões salariais na Biedronka e no Pingo Doce.

Polónia já vale 69,6% das vendas

Na Polónia, onde o Grupo Jerónimo Martins detém a Biedronka, com 2825 lojas, as vendas da empresa de distribuição aumentaram 15,6%, atingindo um total de 2,9 mil milhões de euros e representando 69,6% do total das vendas da empresa no período em análise. Por detrás deste aumento de vendas está também o aumento do número de lojas, diz o Grupo. Em comunicado, a empresa revela que “a contribuição das novas lojas para o incremento das vendas refletiu o forte programa de aberturas registado no quarto trimestre de 2017, durante o qual foram adicionadas 70 localizações ao parque de lojas da Biedronka. No primeiro trimestre de 2018, foram abertas 11 lojas (2 adições líquidas)”.

Nos primeiros três meses do ano, o Grupo Jerónimo Martins lançou na Biedronka 31 novos produtos de marca própria, gama que representa já 41,5% das vendas da companhia na Polónia. Destaque ainda para o lançamento de novos produtos biológicos, que de acordo com a Jerónimo Martins “constitui um passo importante no desenvolvimento desta categoria da Biedronka”.

Vendas da Hebe e da Ara crescem a dois dígitos

A empresa revela ainda que, no primeiro trimestre do ano, as vendas da Hebe atingiram um total de 47 milhões de euros, mais 30,8% do que em igual período de 2017, com a insígnia a abrir 11 novas lojas.

Na Colômbia, a Ara atingiu vendas de 134 milhões de euros, um crescimento de 54,4% face ao período homólogo. Nos primeiros três meses do ano, a insígnia abriu 25 novas lojas, contando agora com uma rede de 414 lojas. Até ao final do ano, a insígnia deverá abrir um total de 150 lojas.