Retalho

Sonae diz que fatura eletrónica já gera “poupanças de 15 milhões de euros”

Sonae diz que fatura eletrónica já gera “poupanças de 15 milhões de euros”

A desmaterialização do processo de faturação dos fornecedores, implementada pela Sonae em 2005, já permitiu à empresa obter poupanças anuais de cerca de 15 milhões de euros. A empresa gere, todos os anos, cerca de 3 milhões de processos de faturação envolvendo mais de 20 mil fornecedores e parceiros.

Em comunicado, a Sonae revela que este trabalho permite que “100% das ordens de compra e 99% das faturas dos fornecedores externos sejam emitidas eletronicamente. No conjunto das empresas Sonae, hoje 93% das faturas do total dos fornecedores são já desmaterializadas.”

Esta iniciativa já permitiu também à empresa poupar anualmente cerca de 90 toneladas de papel, 10 milhões de litros de água e mais de 50 milhões de emissões de CO2, assim como salvar cerca de 2500 árvores.

Nuno Guerreiro, diretor da Direção dos Serviços Administrativos (DSA) da Sonae, sublinha também “a implementação da fatura eletrónica no relacionamento com os fornecedores e parceiros foi um sucesso e permitiu ganhos significativos para todas as partes. As equipas passaram a ter acesso a informações e indicadores de gestão com maior qualidade, agilidade e rapidez, o que veio facilitar o seu trabalho e gerar não só poupanças ambientais e financeiras, como também ganhos efetivos de produtividade”.

Recentemente, o Continente passou a disponibilizar também aos seus clientes um serviço de fatura eletrónica, uma medida que, segundo a insígnia, permitirá aos clientes “pouparem tempo e fazerem uma gestão integrada das suas compras, como também contribuírem para poupar o ambiente”. De acordo com o Continente, desde que foi lançado, o serviço já contabilizou cerca de 15 mil adesões.