Tecnologia

Oracle ajuda retalho com novo Centro de Inovação e Tecnologia em Portugal

Oracle ajuda retalho com novo Centro de Inovação e Tecnologia em Portugal

A Oracle anunciou, hoje (5.ª feira) a abertura oficial de um novo Centro de Inovação e Tecnologia no Porto que irá focar-se inicialmente em disponibilizar as soluções mais inovadoras do mercado, apoiadas nas mais recentes tecnologias, tais como a Inteligência Artificial e o machine learning para ajudar os retalhistas a potenciarem as suas vantagens competitivas.

Na altura do anúncio desta aposta no nosso país, Bruno Morais, country manager da Oracle Portugal, congratulou-se pelo “compromisso assumido pela unidade de negócio de Global Retail da Oracle com a abertura deste centro no Porto, bem como com o investimento realizado em pessoas e tecnologias”. O responsável revelou ainda estar “satisfeito por integrarmos o movimento de qualificação e valorização do Porto e do nosso país, e assim contribuirmos para a sua afirmação enquanto polo de eleição da qualificação e excelência no setor das TI à escala mundial.”

Segundo a companhia o nível de concorrência entre os retalhistas para construírem o mindshare e para assegurarem e potenciarem a lealdade dos seus clientes “nunca foi tão intenso”, salientando ainda que “as marcas têm que desenvolver continuamente os seus produtos e personalizar as abordagens, de modo a conquistarem os corações e as mentes dos seus clientes”.

Já Mike Webster, Senior Vice President e General Manager da Oracle Retail, acredita que “a inovação ouve mais do que fala”, adiantando que “os nossos consultores trabalham em estreita parceria com os nossos clientes do setor do retalho para compreenderem os seus desafios e necessidades específicos e, deste modo, serem capazes de os traduzir em funcionalidades e recursos tecnológicos que se inscrevem na nossa abrangente oferta geral”. O responsável considera, ainda, o Centro de Inovação e Tecnologia “crítico no que diz respeito à disponibilização destes recursos inovadores orientados ao cliente e vocacionados para a nossa comunidade mundial do retalho”.

De referir que, de acordo com o mais recente estudo da CBRE – “EMEA Tech Cities: Opportunities in Technology Hotspots”, a região do Porto integra o ranking dos maiores clusters de tecnologia na região EMEA (Europa, Médio Oriente e África). Ao escolhê-la para sediar o seu novo Centro, a Oracle “espera beneficiar também destas caraterísticas, e a sua equipa de tecnologia, incluindo vários programadores, irão dedicar-se a criar novas integrações e a melhorar a oferta de Retail da Oracle e os recursos reutilizáveis que proporcionam maior valor acrescentado aos clientes”.

De forma a mostrar a mais-valia e a importância desta inauguração, a Oracle não se ficou pelas palavras e deu exemplos: “um retalhista do segmento do pronto a vestir queria saber qual o desempenho e as vendas de determinada coleção numa estação. Para responder a esta necessidade, a Oracle Retail Consulting desenvolveu uma solução simples e eficaz, designada de Lifecycle Inventory Planning (LIP), que amplia e integra soluções de previsão e planeamento. A LIP vai muito além dos parâmetros de gestão correntes como item/loja/dia ao recorrer a um método revolucionário para definir parâmetros do sistema acoplados ao machine learning. O modelo de data science foi capaz de ajudar este retalhista a obter uma projeção do fim do stock com base na previsão e na disponibilidade do stock, reconfigurando as regras do reabastecimento e melhorando o planeamento a nível mundial”. E conclui: “esta é apenas uma das muitas inovações já criadas pela equipa do novo Centro de Inovação e Tecnologia da Oracle inaugurado”.

O novo Centro de Inovação e Tecnologia da Oracle está sediado no Centro Empresarial Lionesa Business Resort, em Matosinhos, perto do Rio Leça e do Mosteiro de Leça do Balio, desfrutando de uma excelente localização a nível de transportes, dada a proximidade do aeroporto, das autoestradas e das linhas ferroviárias que cobrem todo o país e o ligam ao resto do mundo.

Aposta da Oracle passa, igual e continuamente, por “atrair talentos das universidades especializadas em gestão e tecnologias de informação que se encontram inseridas nesta região”.