Retalho

Mercadona diz não ao plástico

Mercadona diz não ao plástico

A Mercadona, empresa de supermercados físicos e online de origem espanhola, elimina hoje de forma definitiva em todas as suas lojas os sacos de plástico de um só uso. As mais de 1.600 lojas oferecem a partir de hoje três opções de sacos: de papel, de ráfia e sacos com 50-70% de plástico reciclado procedente de embalagens de plástico utilizadas nas lojas.

Esta última alternativa é fruto do compromisso conjunto de clientes, colaboradores e fornecedores, que, implicados no aproveitamento de recursos, redução, reutilização e reciclagem, permitem prolongar a vida útil dos materiais e evitar que acabem em aterros.

Utilizando os princípios da Economia Circular, a empresa reutiliza, anualmente, mais de 3.000 toneladas de plástico das embalagens recuperadas das suas lojas para a fabricação dos sacos, enviados para os seus blocos logísticos através de um processo de logística inversa.

Com esta medida, iniciada em 2018 em 66 lojas e implementada gradualmente à restante cadeia, “O Chefe” (como a empresa chama internamente os clientes) pode agora escolher entre o saco de ráfia tradicional, o saco de papel e o saco elaborado com plástico reciclado entre 50% e 70%, sendo todas estas opções reutilizáveis e recicláveis.

Além disso, a empresa instalou uma nova peça de mobiliário para os sacos plásticos utilizados pelos “Chefes” nas secções de frescos, equipadas com um novo sistema que dispensa os sacos de forma a reduzir o desperdício de plástico. O mecanismo de reposição é mais fácil e mais intuitivo que o anterior, facilitando esta tarefa para o trabalhador da secção. Desta forma, espera-se que estes sacos sejam substituídos por outros de material compostável antes de 2021. Com o compromisso de reduzir o consumo de plástico, a área pré-cortada foi eliminada para reduzir a quantidade de plástico restante no suporte e que era descartado.

Refira-se que, em fevereiro deste ano, a Mercadona já tinha assinado um acordo com a Sociedade Ponto Verde (SPV) para a gestão das embalagens que o retalhista espanhol colocará no mercado, indo, assim, ao encontro da promoção de uma cultura de Economia Circular por parte da insígnia fundada por Juan Roig Alfonso.

A Mercadona – que irá abrir 10 lojas, no segundo semestre de 2019, em Portugal, sendo a primeira em Canidelo, Vila Nova de Gaia, no dia 2 de julho e que em Portugal adotará a denominação “Irmãdona” – reforça o seu compromisso com a sustentabilidade, um compromisso que a levou, em 2011, a ser a primeira empresa do setor a apresentar iniciativas para reduzir o uso de sacos plásticos descartáveis e, um ano antes, em 2010, a tornar-se pioneira na reciclagem de plástico com projetos como o que foi abordado em conjunto com a SPBerner para incorporar uma nova linha de produtos de drogaria (baldes, bacias, paus de vassoura e esfregonas), fabricada com o plástico recuperado das estufas.