Quantcast
Retalho

Mango vende mais 21% no primeiro semestre em comparação com 2020

A Mango alcançou 21% mais de volume de negócios relativamente ao ano 2020, nos primeiros seis meses de 2021.

A Mango alcançou 21% mais de volume de negócios relativamente ao ano 2020, nos primeiros seis meses de 2021. A marca prevê superar o resultado obtido em 2019 até ao final do ano. Em comunicado, a empresa revela ainda que em maio e junho vendeu mais que há dois anos atra atrás de forma constante.

O e-commerce fechou o semestre com um aumento de 37% relativamente ao mesmo período do ano passado e situa-se 85% acima de 2019. O peso do canal digital no volume de negócios total da Mango representa 46%, quatro pontos a mais que no fecho de 31 de dezembro. A empresa mantém o seu ambicioso objetivo de terminar o exercício com um volume de negócios online de 1.000 milhões de euros.

Pela sua parte, o conjunto de lojas físicas esteve encerrado uma média próxima de 50 dias nesta primeira metade do ano, com especial efeito em países essenciais para a multinacional, como a Alemanha, França, Reino Unido, Portugal ou Turquia. Da mesma forma, existiram restrições de abertura e capacidade em Espanha, principal mercado da Mango em termos de volume de negócios.

“Os resultados alcançados até à data no corrente ano deixam-nos otimistas para o segundo semestre, no qual esperamos ter uma recuperação das vendas acima dos números de 2019. Esperamos voltar a ter lucros neste exercício”, explica Toni Ruiz, CEO da Mango.

Durante este período, a margem comercial também melhorou em 1,8 pontos face a 2019, situando-se acima dos 58%. Este aumento, segundo a Mango, deveu-se à melhoria da coleção, à gestão proativa de inventário e ao menor peso das vendas com promoção.