Quantcast
Retalho

Lucro da Sonae atinge os 98 M€ no primeiro semestre

Sonae com volume de negócios de 4,6 mil M€ até setembro

A Sonae terminou o primeiro semestre do ano com um volume de negócios de 2 680 milhões de euros, um aumento de 6,6% face ao período homólogo. Os resultados publicados pela companhia esta quarta-feira (22 de agosto) revelam que o resultado líquido atingiu os 98 milhões de euros, um crescimento de 34,2%, e que o EBITDA chegou aos 154 milhões de euros, 11,1% acima do conquistado no primeiro semestre de 2017.

Para estes resultados contribuíram, sobretudo, os negócios da empresa no retalho alimentar. Assim, as vendas da Sonae MC no primeiro semestre de 2018 foram de 1906 milhões de euros, mais 7,2% do que em igual período em 2017. De acordo com a Sonae, este crescimento reflete o aumento de lojas da rede Continente Bom Dia, assim como uma variação de 2,7% de vendas no universo comparável de lojas.

 

E-commerce do Continente ganha terreno

O comércio online pesa cada vez mais no negócio da Sonae, que registou crescimentos em todas as suas lojas online no primeiro semestre do ano, nomeadamente no Continente Online, cujas vendas aumentaram 20% nos primeiros seis meses do ano.

 

Worten cresce 7,1%

O volume de negócios da Worten cresceu cerca de 7,1%, para 474 milhões de euros, uma evolução impulsionada pela operação online da insígnia e por uma variação de vendas no universo comparável de lojas de 5,8%.

 

Sobre a Sonae Sports & Fashion, a empresa revela que o aumento do volume de negócios foi de 0,9%, para um total de 168 milhões de euros. De acordo com a companhia, “o primeiro semestre do ano foi um dos períodos mais desafiantes de sempre para os operadores de fashion, com todo o sector a ser impactado negativamente por condições meteorológicas atípicas e pela antecipação da Páscoa.”

Também aqui, as vendas online registaram uma evolução positiva, com as vendas online da Zippy a aumentar 56%, as da Salsa a crescerem 13% e as da MO a duplicar, face ao período homólogo.

 

No que diz respeito à ISRG (Iberian Sports Retail Group), que resulta da fusão da JD Sprinter e Sport Zone, o volume de negócios cresceu 7,8% (entre 1 de fevereiro e 5 de maio) atingindo os 116 milhões de euros.

Nos primeiros seis meses do ano, a Sonae investiu cerca de 151 milhões de euros, mais 30 milhões (24,8%) do que na primeira metade de 2017, despesa que se deve, sobretudo, “a um maior nível de capex [despesas de capital] da Sonae MC, relacionado com remodelações, e da Sonae IM relacionado com operações de fusão e aquisição”.  A empresa conseguiu também uma redução da dívida líquida em 95 milhões de euros face a junho do ano passado, para os 1324 milhões.