Sustentabilidade

Lidl vai dar nova vida a 2,6 toneladas de plástico

O projeto TransforMAR, do Lidl Portugal, recolheu na sua segunda edição o dobro das unidades de plástico recolhidas na edição anterior: 180 mil unidades, que correspondem a 2,6 toneladas de plástico.

No âmbito desta iniciativa, o Lidl e os seus parceiros desafiaram os portugueses a colocarem os seus resíduos plásticos e de metal num depósito próprio com o compromisso de os transformar num benefício direto para a comunidade, como mobiliário urbano.

Numa nota enviada às redações, a insígnia explica que, na edição deste ano, a iniciativa passou por 15 praias de todo o País com o objetivo de reforçar a importância dos princípios da economia circular através da recuperação, reutilização, reciclagem e redução do desperdício de materiais plásticos.

Para Vanessa Romeu, Diretora de Comunicação Corporativa do Lidl Portugal, “este projeto é pioneiro não só na forma como promove a limpeza das praias, mas também como transforma o plástico recolhido, numa lógica de economia circular, num benefício para a comunidade. Ficamos muito satisfeitos que esta nossa iniciativa resulte em mudanças reais de comportamento e contribua para a sensibilização da população, uma vez que só este envolvimento global conseguirá de facto marcar a diferença na forma como lidamos com o plástico diariamente. Esta edição tornou-se também especial ao ter recebido o apoio institucional por parte do Ministério do Ambiente e da Transição Energética e da Associação Zero – validações adicionais ao nosso papel de sensibilização e compromisso com a sociedade de que muito nos orgulhamos.”

Já Pedro Nazareth, Diretor Geral do Eletrão – Associação de Gestão de Resíduos, afirma que “duplicar as quantidades de resíduos recolhidos mostra que os cidadãos estão cada vez mais consciencializados para a causa do plástico nas praias e nos oceanos.  O objetivo desta parceria será sempre sensibilizar para a importância da redução, separação e reciclagem dos resíduos de embalagens e o impacto positivo que “pequenos gestos” como este têm no meio ambiente.”

Por sua vez, Nuno Sequeira, vice-presidente da Quercus, sublinha que “num momento em que a sociedade está cada vez mais mobilizada para as questões ambientais, e onde é indispensável envolver os consumidores numa utilização mais consciente dos recursos, este projeto, pelos resultados alcançados e pela dinâmica demonstrada, tem sido um excelente exemplo de como se pode promover a economia circular em Portugal”.

Recorde-se que o Lidl foi uma das primeiras insígnias de retalho alimentar com presença no País a assinar o pacto ambiental com as Nações Unidas e com a Fundação Ellen MacArthur. A nível nacional, a cadeia assumiu, em março de 2018, um compromisso de redução de consumo de plástico nas embalagens de marca própria em 20% até 2025, de descontinuar a venda de plásticos descartáveis, em agosto de 2018 e anunciou o fim da venda de sacos de plástico para transporte de compras até ao final deste ano.