Retalho

Lidl Portugal contribuiu com 9 mil M€ para a economia portuguesa nos últimos cinco anos

Lidl aumenta ordenado de entrada para 670 euros

Nos últimos cinco anos, o Lidl Portugal contribuiu com cerca de 9 mil milhões de euros para a economia portuguesa, ajudando a criar cerca de 46 mil postos de trabalho diretos e indiretos. A conclusão é de um estudo de impacto socioeconómico realizado pela consultora KPMG para o retalhista que indica que, só em 2018, o contributo económico do Lidl Portugal representou cerca de 1% do PIB português, 2120 milhões de euros.

O estudo, apresentado esta quarta-feira (19 de junho), revela que em 2018, o contributo económico do Lidl para Portugal fixou-se nos 2120 milhões de euros, um contributo que resulta de um crescimento médio de 6% por ano desde 2014. A KPMG diz que, só em 2018, por cada euro gasto pelo Lidl Portugal foram gerados cerca de 1,77 euros na economia nacional, com o Norte a assumir-se como a região que mais contribui para esta geração de riqueza. Segundo o estudo, os três setores mais impactados pela atividade do Lidl são os de produtores alimentares (39%), produtos da agricultura, produção alimentar e serviços relacionados (12%) e construção (10%).

Além disso, segundo os dados da KPMG, por cada posto de trabalho criado pelo Lidl Portugal em 2018, foram gerados 5,8 empregos no país. Assim, nos últimos cinco anos, a atividade do Lidl Portugal permitiu criar cerca de 46 300 postos de trabalho diretos e indiretos, 31 mil dos quais nos três setores de atividade mais impactados pela atividade do retalhista, a um ritmo de crescimento, médio, de 6% por ano. Importa ainda referir que, no Lidl Portugal todos os colaboradores têm contratos de trabalho sem termo e salários superiores ao salário mínimo nacional de 600 euros.

Sérgio Ramos, CFO do Lidl Portugal, sublinha que “estes valores aferidos pelo estudo de impacto socioeconómico realizado pela consultora KPMG espelham o nosso compromisso para com o país e os portugueses e refletem o nosso esforço e investimento crescentes ao longo dos últimos cinco anos. Pautamo-nos não só pela qualidade ao melhor preço da nossa oferta, mas por uma postura séria e de crescimento com os nossos parceiros. Em Portugal somos portugueses e é muito importante para nós ver este compromisso refletido na sociedade e economia nacionais.”

Lidl já exporta produtos nacionais para 26 mercados

O Lidl Portugal revela ainda que o seu contributo na economia portuguesa estende-se às exportações, levando, atualmente, os produtos portugueses para um total de 26 países. Em 2017, as exportações de produtos portugueses ‘intermediadas’ pelo Lidl Portugal atingiram um valor de 100 milhões de euros, um crescimento face aos 70 milhões de euros do ano de 2016.

Entre os produtos nacionais mais exportados pelo Lidl Portugal contam-se a pera Rocha, o vinho, o azeite, a maçã de Alcobaça, o pão, as leguminosas e os palitos.

Recorde-se que em 2018, o Lidl Portugal anunciou um investimento de 100 milhões de euros no mercado português, nomeadamente na remodelação e modernização e na abertura de lojas. No encontro desta manhã com a imprensa, a empresa revelou que o plano de expansão deverá continuar, mas sem avançar números. Além disso, de acordo com Sérgio Ramos, a performance do primeiro semestre de 2019 vai ao encontro das expetativas, com o responsável a afirmar: “estamos melhor do que no ano passado”, com a quota de mercado da insígnia em Portugal a fixar-se nos 9,1%.

Questionado sobre a entrada da Mercadona em Portugal, que se prepara para abrir as primeiras lojas já no próximo mês, o CFO do Lidl Portugal sublinha que “é um desafio” que deve ser considerado, mas que as expetativas “são boas”.