Quantcast
Retalho

LIDL investe 100 milhões para ‘entrar’ na Madeira e cria 150 postos de trabalho

O LIDL anunciou durante o final da passada semana que pretende chegar à Madeira já em 2023. Para concretizar este plano, o retalhista tem ‘guardados’ 100 milhões de euros.

Com objetivo de chegar às 265 lojas em território nacional, o LIDL confirma que irá criar mais de uma centena de postos de trabalho na ilha, sendo que serão abertos pelo menos três espaços comerciais.

 

“A entrada do Lidl Portugal neste território [Madeira] visa igualmente dinamizar a economia local, como é seu hábito, não só no estabelecimento de parcerias com fornecedores locais como no recrutamento de colaboradores/as. Nesse sentido, já em 2023 serão criados cerca de 150 novos postos de trabalho, estando as compras a fornecedores Madeirenses, comerciais e de serviços, avaliadas em cerca de 20 milhões de euros”, anuncia-se em comunicado.

Segundo Miguel Albuquerque, Presidente do Governo Regional da Madeira, “a expansão da operação do Lidl à Madeira é sem dúvida uma boa notícia. Trata-se de uma empresa internacional, de grande credibilidade, e para a Madeira será muito importante este investimento de 100 milhões de euros e 150 postos de trabalho, em 2023, com a dinamização da economia e a perfeita articulação entre a sua atividade e os nossos produtores locais e empresários, beneficiando sempre, obviamente, o consumidor. O Lidl traz ainda a vantagem da possibilidade de introdução de produtos madeirenses na sua rede internacional”.

 

Para Elena Aldana, Diretora de Assuntos Públicos e Comunicação Corporativa do Lidl Portugal, “a abertura de lojas na Região Autónoma da Madeira é para nós motivo de grande orgulho e satisfação e igualmente um desafio a que tenho a certeza daremos a melhor resposta: proporcionar a melhor experiência de compra aos habitantes da ilha e trabalhar de forma próxima com parceiros e com a comunidade local, que são para nós fundamentais. Consideramos que estão agora reunidas as condições para darmos este passo, que consolida, uma vez mais, o nosso investimento em Portugal.”