Quantcast
Retalho

E-commerce e pandemia: 2 em 3 consumidores já compram online

Com muita da disrupção dos últimos anos a obrigar o consumidor a alterar os seus comportamentos, um novo estudo sugere que algumas das mudanças introduzidas pela pandemia vieram para ficar.

Num novo documento, elaborado pela MARCO, com o título ‘Post Covid Consumer Behaviour II’ percebe-se que 69% dos portugueses começaram a comprar mais online depois da pandemia, acima da média europeia de 67%,  enquanto que 97% dos portugueses preveem manter este comportamento no futuro.

 

Para se ter uma ideia da expressividade deste crescimento, Portugal é hoje o terceiro país europeu a registar um aumento neste canal de vendas, atrás do Reino Unido (74%) e da Itália (72%). Portugal (97%) está também acima da média europeia (95%) no que toca à intenção de manter o hábito de comprar online no futuro, em segundo lugar, logo depois da Itália (98%) e antes da França (95%), explica-se em comunicado.

 

Mais quais os fatores mais determinantes na escolha de produtos?

Para os consumidores portugueses, na escolha de um produto, os fatores-chave são a qualidade (89%), o preço (74%) e a responsabilidade da marca (58%). Igualmente, o brand love é considerado o fator menos relevante para os consumidores portugueses, com uma média de 36%. Esta tendência é transversal a todos os segmentos de género e idade.

 

Acrescenta-se ainda que “89% dos portugueses consideram também uma marca responsável mais relevante do que uma love brand (36%). De facto, os portugueses são os consumidores europeus que mais valorizam uma marca responsável, seguidos pela Espanha (80%) e Reino Unido (79%)”.

 

Didier Lagae, fundador e CEO da MARCO, afirma: “Embora o pico do coronavírus tenha passado, as consequências para os consumidores ainda não foram totalmente compreendidas. Atualmente, o que as marcas têm à sua frente são públicos-alvo cada vez mais heterogéneos que necessitam de ser hiper-segmentados para uma comunicação de qualidade e eficaz”.