Sustentabilidade

Continente assina pacto internacional para minimizar o uso de plástico

Dona do Continente com o “crescimento anual mais elevado” dos últimos dez anos

O Continente acaba de assinar o New Plastics Economy Global Commitment, uma iniciativa da Fundação Ellen MacArthur em colaboração com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente que tem como meta a promoção de um modelo de economia circular para o plástico, nomeadamente através da redução da sua utilização.

O programa pretende eliminar todas as embalagens de plástico “problemáticas ou desnecessárias” através de soluções de ecodesign de embalagens, inovação e novos modelos de entrega, aplicar modelos de reutilização, tornar todas as embalagens plásticas em embalagens 100% reutilizáveis, recicláveis ou compostáveis e minimizar o uso de plástico que consome recursos finitos.

A insígnia nacional junta-se, assim, aos governos de França, do Reino Unido e do Chile, ao Ministério do Ambiente da Nova Zelândia e de Portugal, a organizações como o World Economic Forum, Banco Europeu de Investimento e o The Consumer Goods Forum, ONG’s, universidades, associações industriais, investidores e ainda a um conjunto de empresas que, no seu todo representam 20% de todas as embalagens plásticas produzidas globalmente.

Sander Defruyt, responsável do projeto New Plastics Economy, sublinha que “as metas e os planos de ação apresentados neste relatório representam um avanço significativo em comparação com o ritmo de mudança das últimas décadas. Contudo, ainda estão longe de realmente corresponder à escala do problema, particularmente no que diz respeito à eliminação de itens desnecessários e à inovação em torno de modelos de reutilização. Os níveis de ambição devem continuar a subir de forma a serem dados passos reais no combate à poluição global de plástico até 2025, e a passagem do compromisso à ação é crucial. Grandes investimentos, inovações e programas de transformação precisam ser iniciados agora, para que possamos aferir o seu impacto até 2025.”

Recorde-se que em 2018, o Parlamento Europeu aprovou uma proposta para banir a utilização de plástico descartável de todos os Estados-Membros, nomeadamente com a proibição de seis produtos.