Quantcast
aquisição

CE autoriza compra da Parmalat pela Lactalis

Lactalis quer ser 'dona’ da Parmalat

A Comissão Europeia aprovou na terça-feira, 14 de junho, a compra da italiana Parmalat pela Lactalis, uma vez que a investigação efetuada pelo seu órgão antitrust concluiu que a transação não irá impedir significativamente a concorrência na Itália ou restante União Europeia.

Controlada pela família francesa Besnier, a Lactalis oferece 2,60 euros por ação pelos 71% da Parmalat que ainda não possui. O preço da Oferta Pública de Aquisição (OPA), lançada em maio, avalia a Parmalat em aproximadamente 3,38 mil milhões de euros. A empresa francesa prosseguiu com a OPA, apesar da rejeição do conselho de administração da Parmalat, que descreveu o preço da proposta como inadequado.

Com a ajuda do Governo italiano, um grupo de banqueiros e industriais defenderam a Parmalat, mas não conseguiram recrutar investidores para formar uma participação suficiente para evitar que a Lactalis assumisse o controlo da empresa. A Lactalis encerrará a oferta pelas ações da empresa italiana no dia 8 de julho, pretendendo obter uma fatia de, pelo menos, 55% na Parmalat.

 

A Comissão investigou, por isso, os efeitos que tal compra poderia ter nos diferentes mercados lácteos, tais como o leite, manteigas e queijos, concluindo que a transação não “modificaria significativamente a estrutura dos mercados relevantes na medida em que os aumentos de quota de mercado não teriam grande peso e os concorrentes existentes continuariam a exercer uma pressão concorrencial sobre a entidade resultante da concentração”.

A investigação do órgão antitrust da UE também concluiu que a nova empresa – resultante da integração da Parmalat na Lactalis – não ficaria numa posição capaz de restringir a concorrência em relação ao fornecimento de leite cru ou como resultado da extensão do seu portefólio de produtos.

 

Não perca informação: Subscreva as nossas Newsletters

Subscrever